WALDIR COSTA – Traição é tônica na campanha; puxa-sacos e formigas blindam candidatos

0
42

Registro – Desde o início da semana que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) vem analisando e confirmando –e também rejeitando– registros de candidaturas de políticos, que estão na disputa das eleições de outubro próximo. Maurão de Carvalho “Rondônia, Unidos Somos Fortes” (MDB/Podemos/PMN/PSC/PCdoB/PHS/Pros/PV) e Expedito Júnior “Esperança por um Tempo Novo” (PSDB/DEM/PSD/PRB/Patriotas) candidatos a governador e o deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa (Ale), Laerte Gomes (PSDB) já tiveram o registro confirmado pela Justiça Eleitor.

Registro II – A expectativa é para a divulgação do pedido de registro da candidatura a governador de Acir Gurgacz “Juntos por um novo tempo para Rondônia” (­PDT, PSB, PP, PR, PTB, SD, PSDC e PTC), que tem condenação, mas recorreu, através de embargo infringente. Na hipótese de Acir ser liberado pela Justiça Eleitoral de Rondônia, sua campanha, que já tem bom volume deverá ganhar mais fôlego. Caso tenha que recorrer ao Superior Tribunal Eleitoral (STE) a estratégia da coligação terá que ser mais bem avaliada.

Inteligência – Impressiona o amadorismo –ou conveniência– da maioria dos grupos políticos, que está na disputa das eleições em Rondônia. A falta de um trabalho de inteligência para os candidatos a cargos majoritários (governo e também ao Senado, que se enquadra no segmento) deixa um vazio muito grande, numa área fundamental na campanha política, que é a agregação dos envolvidos. Mas ocorre justamente o contrário, onde puxa-saco e formigas proliferam com prejuízos diretos aos candidatos.

Inteligência II – O colunista do “Diário da Amazônia”, Carlos Sperança vem alertando, antes mesmo das convenções, que definiram os candidatos majoritários e proporcionais, que a trairagem campeava entre políticos, político-partidários e os conhecidos “aspones” que circundam os candidatos como abelha no pólen. O trabalho político-partidário não existe na maioria das coligações de Rondônia.

Inteligência III – A proposta de agrupamento de lideranças com o objetivo de defender os interesses da maioria da população é quase sempre, balela. Ruim para os políticos, que a cada eleição reduzem a credibilidade junto ao eleitorado. Faltam fidelidade, companheirismo e responsabilidade. Toda coligação deveria ter elementos na capital e no interior para checar o trabalho de cada parceiro das coligações. Política é coisa séria, porque são os políticos que definem o presente e o futuro dos municípios, dos Estados e do País.


Respingo

 A campanha de Acir Gurgacz ao governo ganha um reforço extra a partir de hoje (5). O patriarca da Família, Assis Gurgacz inicia peregrinação mantendo contato com lideranças políticas, empresariais, comerciais e agrícolas do Estado +++ Encontrar deputado na Assembleia Legislativa neste período de campanha eleitoral é como ganhar na loteria. A não ser às terças-feiras, quando ocorrem as sessões ordinárias, nos demais dias da semana, inclusive sábados, domingos e feriados, os deputados percorrem a capital e o interior em busca dos votos +++ Em Porto Velho a cada dia aumenta o trabalho das “formiguinhas” na maioria dos semáforos, nos cruzamentos de maior movimento. A mobilização também se nota nos bairros mais populosos os das zonas Sul e Leste +++ Também é possível notar que quase sempre as formiguinhas trazem bandeiras e materiais de publicidade dos mesmos candidatos. Isso demonstra que o poder econômico continua prevalecendo nas campanhas eleitorais, ou seja, quem pode mais chora menos



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here