WALDIR COSTA — Hoje quatro nomes aparecem como possíveis candidatos à prefeitura de Ji-Paraná

0
253

As eleições municipais (prefeito e vereador) de outubro do próximo ano estão distantes, mas já movimentam os bastidores da política devido a sua importância para os municípios, a maioria em crise econômico-financeira e social das mais agudas. Muitos estão sem condições de cumprir os compromissos com os servidores e até para pagar o 13º salário.

Quando o assunto são eleições municipais é importante lembrar, que tramita no Congresso Nacional, PEC do ex-deputado federal Ernandes Amorim, de Rondônia, adaptada pelo deputado federal Rogério Peninha (MDB-SC), para prorrogação dos mandatos dos prefeitos e vereadores em mais dois anos. A PEC foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e segundo deputados federais consultados, ela será aprovada.

No caso da aprovação da PEC não teremos eleições no próximo ano. A justificativa é para que ocorra a coincidência com as eleições gerais de 2022. Apesar de a possibilidade de prorrogação de mandato, hoje os partidos estão se preparando para as eleições do próximo ano.

Na última semana foi realizado um balanço da disputa pela Prefeitura de Porto Velho, maior colégio eleitoral do Estado onde pelo menos dez nomes estão se preparando para a disputa, com pelo menos cinco em condições de sucesso. A expectativa é de muito equilíbrio, onde geralmente a escolha do prefeito ocorre no segundo turno.

O SEGUNDO MAIOR colégio eleitoral do Estado, Ji-Paraná, com mais de 85 mil eleitores promete eleições acirradas a prefeito. Há que se admitir, que o presidente da Assembleia Legislativa (Ale), Laerte Gomes (PSDB/Ji-Paraná) é um dos nomes expressivos para a sucessão do prefeito Marcito Pinto (PDT).


Laerte já foi prefeito em Alvorada do Oeste e empreendeu muitas transformações na cidade, a ponto do povo tê-lo eleito deputado estadual em 2014. Na sua mudança de domicílio eleitoral para Ji-Paraná, Laerte conseguiu se reeleger em 2018 e obteve 5.485 votos, o mais bem votado no município.

O ex-deputado estadual Airton Gurgacz (PDT), não se reelegeu e somou 5.386 em 2018 na sua tentativa de reeleição é o nome com maior probabilidade do PDT, caso o prefeito Marcito Pinto não possa disputar a reeleição. Marcito era vice de Jesualdo nos dois mandatos, assumiu com a renúncia do prefeito para candidatar-se ao Senado e talvez não possa entrar na disputa, pois seria um terceiro mandato. Mas o nome de maior evidência é de Airton.

Político bem próximo do eleitorado, o ex-vereador Isaú Fonseca, até dias atrás sem partido, é um nome a ser considerado na disputa pela ocupação do Palácio Urupá a partir de 2021. Isaú é carismático, tem identificação com os eleitores e sabe fazer política. Ficou fora das últimas eleições por decisão judicial. Caso seja candidato é um adversário de peso político.

E ainda tem o ex (governador, senador, deputado constituinte, e três vezes prefeito de Ji-Paraná), José Bianco, nome sempre lembrado, apesar de afirmar aos amigos, que política, somente de bastidores. Como é um nome consagrado e sem mácula na difícil arte de fazer política, Bianco jamais pode ser ignorado quando o assunto é eleições, sejam elas ao governo, Senado, Ale ou prefeitura.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here