Vencedora do prêmio ‘Educador do Ano’ sofre atentado a tiros

0
134

A vencedora do prêmio “Educador do Ano  2017”, Elisângela Dell-Armelina Suruí, foi atacada a tiros por bandidos em Cacoal. A tentativa de homicídio ocorreu quando ela e o marido voltavam de moto para a Aldeia Paiter Suruí, entre a noite de quarta-feira (29) e esta quinta-feira (30). O casal não se feriu no ataque e fugiu a tempo para pedir ajuda.

Nesta quinta-feira, Elisângela foi até a Polícia Federal (PF) de Ji-Paraná para registrar uma ocorrência. Naraymi Suruí, esposo da educadora, é cacique na aldeia Paiter Suruí da Linha 12 e acredita que o ato foi uma retaliação por parte de madeireiros que estavam derrubando castanheiras na terra indígena Sete de Setembro e foram expulsos pelos indígenas.

Segundo Elisângela, ela, o esposo e o cunhado dele foram à Cacoal na quarta-feira para despachar uma carga de castanha para ser beneficiada no Paraná. Quando retornavam de moto para a aldeia, à noite, foram seguidos por uma dupla que também estava em uma moto. Os suspeitos parearam com a moto do casal, apontaram uma arma de fogo e efetuou vários disparos em direção ao casal.

“Quando deram o primeiro tiro a gente caiu e ficou por trás da moto e eles continuaram atirando. Quando estavam descendo do veículo para ir em nossa direção, o cunhando de meu marido, que estava para trás, se aproximou e eles se assustaram e correram”, conta.

Depois que os atiradores foram embora, as vítimas pediram ajuda a um morador às margens da estrada, que acionou a Polícia Militar (PM). “Os policiais perguntaram se a gente tinha alguma desavença e nos orientou a não seguir viagem para aldeia, com isso, eles nos escoltaram até a cidade onde passamos a noite na casa de um amigo e hoje (quinta-feira), fomos prestar depoimento na Polícia Federal”, revela.


Educadora do Ano

A professora Elisângela Dell-Armelina Suruí, de 38 anos, dá aulas na Escola Indígena Estadual de Ensino Fundamental e Médio Sertanista Francisco Meireles, na aldeia Paiter Suruí da Linha 12 em Cacoal. No mês de outubro ela foi eleita a Educadora do Ano, por seu projeto de alfabetização na língua indígena Paiter Suruí.

O projeto de Elisângela, batizado de “Mamug Koe Ixo Tig”, que significa “A fala e a escrita da criança”, incluiu a elaboração de um material didático próprio em Paiter Suruí para os 15 alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, que estudam todos na mesma sala multisseriada.

 


CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here