AUTORIDADES E A POLÍCIA MANIFESTAM-SE DIANTE DA IMPRENSA: ESTAS COISAS NÃO ACONTECIAM NO BRASIL

Em entrevista coletiva a pouco a polícia e outras autoridades confirmram os nomes dos assassinos que mataram oito pessoas na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo: Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos. Os dois cometeram suicídio em seguida. Castro completaria 26 anos no próximo sábado.

O comandante-geral da Polícia Militar, Marcelo Salles, informou que os dois adolescentes usaram um revólver calibre 38 e uma arma medieval semelhante a um arco e flecha. Pelo menos 10 pessoas morreram na tragédia.

Um grupo de rapazes relatou que um dos atiradores estudava no colégio e três dias atrás avisou a colegas para “ficarem espertos”. Segundo um dos jovens, que pulou o muro e fugiu no momento dos tiros, o colega não sofria bullying e publicava fotos com armas nas redes sociais.

Um dos dois atiradores do massacre que aconteceu em Suzano nesta quarta-feira, 13, postou uma série de imagens no Facebook no mesmo dia do ataque. Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, que se identificava como “Guilherme Alan” nas redes sociais, publicou fotos em que aparecia com uma máscara de caveira, o boné e o relógio utilizados durante o tiroteio.

GUILHERME TAUCCI MONTEIRO, 17 ANOS, UM DOS ATIRADORES DO ATAQUE NA ESCOLA ESTADUAL EM SUZANO (SP) (Fotomontagem/Reprodução)

SEGUNDO OS POLICIAIS, os atiradores atacaram, inicialmente, um lava-jato que estava ao lado do colégio e depois entraram na escola atirando na coordenadora pedagógica, num funcionário e nos estudantes.

Salles disse ainda que os estudantes atacados estavam na hora do recreio. De acordo com ele, os atiradores se suicidaram em um dos corredores da escola. Segundo o policial, há artefatos explosivos dentro do colégio, por isso é fundamental o isolamento da área.

Na parte externa do colégio, o governador de São Paulo, João Doria, disse ter visto hoje as cenas mais tristes da sua vida. Ele cancelou a agenda e seguiu para o local com autoridades de segurança pública e da área de educação do estado.

O crime ocorreu por volta das 9h30. Segundo informações da Polícia Militar, dois adolescentes armados e encapuzados invadiram o local e efetuaram disparos contra os alunos. 

Neste momento (14h53), horário de Brasília) as autoridades de São Paulo estão concedendo entrevista entrevista sobre o caso.

REPERCUSSÃO

Hamilton Mourão: ‘Essas coisas não aconteciam no Brasil’

Em rápida entrevista coletiva sobre o tema, o vice-presidente Hamilton Mourão(PRTB) disse que “tem que chegar a conclusão do porquê essas coisas estão acontecendo”. “Ocorriam em outros países. Nós tivemos no Realengo, no Rio de Janeiro, uns tempos atrás. Agora ocorre na escola de São Paulo, já teve em um templo um tempo atrás. Lamento profundamente tudo que ocorreu”.

Moro lamenta ataque e oferece MJ para apoiar governo de SP

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado pelo ex-juiz Sergio Moro, divulgou nota na tarde desta quarta-feira lamentando o ocorrido em Suzano e colocando a pasta à disposição do governo de São Paulo.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) lamenta o grave atentado à Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano (SP), que provocou o trágico assassinato de crianças e funcionários e presta solidariedade aos familiares neste momento de dor e tristeza.

Os fatos ainda estão sendo apurados pelas autoridades competentes e o Ministério se coloca à disposição do governo do estado de São Paulo.

Doria: ‘Fiquei chocado com o que eu vi’

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou, emocionado, que o ataque ocorrido na manhã desta quarta-feira, 13, em Suzano, foi a cena mais triste que já assistiu em toda a sua vida. “Fiquei chocado com o que vi”, disse, em entrevista coletiva na escola onde aconteceu da tragédia. O governador declarou luto oficial de três dias.

VEJA GALERIA DE FOTOS:



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.