A delegação de industriais sul-coreanos veio à Rondônia para apresentar projetos de investimentos em áreas diversas concluiu a visita ontem (17), com alguns negócios encaminhados e perspectiva de bons acordos bilaterais. O grupo foi recebido nesta terça-feira no Palácio Rio Madeira pelo governador Confúcio Moura.

Os coreanos fizeram uma explanação na audiência sobre seus propósitos para com o estado de Rondônia. Também participaram deste encontro o vice-governador Daniel Pereira, o prefeito Hildon Chaves, o superintendente de Desenvolvimento do Estado Basílio Leandro e o empresário Adélio Barofaldi

A missão coreana escolheu Rondônia para apresentar projetos em várias áreas. Um deles, da empresa ALG, representada pelo diretor comercial Kyungsoo Min, é o de construção de uma unidade produtiva de sistemas de iluminação inteligente em “led”, sistemas de internet e de câmeras de monitoramento acopladas às luminárias.

A empresa ESV, que é um fundo de investimentos voltado para sistema de iluminação pública e fabricação de carros e motos elétricos está à procura de sociedade para produzir o equipamentos. A construção de um carro elétrico está entre as possiblidades do empreendimento.

Já Daniel Mun e Marcelo Lee, sócios da empresa Rokgear Korea, anunciaram que atuam na consultoria de negócios entre Brasil e Coreia do Sul e prospectam eventuais parcerias com governo de Rondônia. Eles convidaram empresários rondonienses para uma viagem à Coreia em novembro deste ano.


Os sul-coreanos também mostraram produtos da empresa Cheil/Cudo, um sistema de monitoramento inteligente cidade e ferrovias. A Bit, detentora do sistema de telemedicinas e hospitais, que atua no atendimento à população coreana, que está pulverizada em centenas de ilhas, também investir em Rondônia. Por este sistema passariam todas as consultas médicas e apenas os casos em que há necessidade de internação acabam encaminhados para médicos.

Os coreanos mostraram, ainda, uma empresa que produz sensores para estacionamento e tecnologias de monitoramento. A meta é conseguir parcerias para instalar uma fábrica em Rondônia. O produto também monitora placas veículos e serve para o controle nas fronteiras. “Não viemos para vender em Rondônia”, disse Marcelo Lee, que é também o tradutor da delegação. Segundo ele, a missão busca parcerias para empreender a partir daqui.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here