SÉRGIO PIRES – ALE discute reajuste na energia elétrica; a volta do ‘‘Nota Legal’’

0
15

FALTAM ÍNDIOS NA AMAZÔNIA

O  problema é  recorrente e grave. Será que um dia nos livremos dele? O poderio das ONGs na Amazônia é impressionante. Elas movimentam milhões e milhões de reais, grande parte dinheiro tirado dos cofres públicos, tornando a expressão “não governamentais” , no geral, apenas uma espécie de arremedo, de gozação com a cara dos incautos. Suas estratégias envolvem redações de grande jornais e emissoras de TVs, por onde espalham, sempre que correm o risco de perder qualquer espaço, como está ocorrendo agora, de que o desmatamento na floresta cresceu espetacularmente; que tantos campos de futebol foram jogados no chão; que há risco de extermínio de algumas espécies; que vários países estão protestando contra a destruição da Amazônia e outros absurdos que empurram goela abaixo, já que se adonaram das informações sobre nossa região, sejam elas verdadeiras ou pura invencionice. Agora, conseguiram a parceria da Rede Globo para produzir uma mini série em que várias mulheres são heroínas, em defesa da floresta.

E quem não concorda com elas é bandido. Inventaram também que nos últimos meses o desmatamento na floresta aumentou 60 por cento. Espalham que o acordo do Mercosul com países europeus corre risco por causa da “política destruidora do meio ambiente do governo Bolsonaro”. Qualquer brasileiro com responsabilidade e que queira viver sob a verdade, é claro que não acredita nesses sanguessugas, que é o que as ONGs  são, principalmente as internacionais, que apenas atendem os interesses estrangeiros. Portanto, antes de comentar bobagens sobre questões ambientais, tente se informar corretamente. Não vá na conversa desses malandros.

Elas são milhares, é bom que se saiba. Na Amazônia, segundo informações do Google, até hoje não contestadas, existem nada menos do que 100 mil ONGs atuando,  milhares delas estrangeiras, falando claramente o idioma dos interesses de seus países de origem. Recebem dinheiro de empresas e de suas nações de origem, claro, mas muitas, ainda neste pacote, também ganham dinheiro do governo brasileiro (isso felizmente, vai acabar!) para agir em nome de seus países, embora mintam que querem é defender as questões ambientais brasileiras.  Muitas representam nações em que o meio ambiente foi destroçado e incontáveis grupos de animais, dizimados.

Agora, do alto do poder destrutivo que tiveram em suas origens, querem mandar e desmandar em  terras alheias, como o fazem no Brasil há tantos anos, apoiados, nas últimas décadas, por governos daqui mesmo, de ladrões e antipatriotas. Muito bem faz o governo Bolsonaro, que vai cortar todas as verbas a esses malandros, apoiando apenas ONGs verdadeiras, que são importantes e que ajudam os brasileiro de regiões que mais necessitam. Temos que nos livrar dessas pragas. Como curiosidade; você sabia que tem mais ONGS e gente dessa turma  na nossa região defendendo os índios do que o número de índios? Infelizmente é a mais pura verdade. Por aí, você pode tirar suas conclusões…


A VOLTA DO NOTA LEGAL

No mês que vem, começa novamente um dos programas do governo Confúcio Moura que alcançou grande sucesso entre o público, porque distribuía prêmios aos consumidores: o projeto Nota Legal. O sistema volta a funcionar, embora não haja ainda decisão sobre se os prêmios voltarão ou não. O que já está decidido, segundo o secretario Luiz Fernando Pereira da Silva, é que parte do ICMS automaticamente recolhido na nota fiscal, será encaminhado para entidades sociais à escolha do consumidor. E ele poderá usar o QR Code, do seu próprio celular, o que permite que, na hora, quem pedir a nota possa enviar os dados para que a entidade que selecionou, receba o valor relacionado com a parte do incentivo do ICMS a que o consumidor terá direito. Várias outras inovações estão sendo estudadas pela Secretaria de Finanças do Estado, na batalha para incentivar o comprador a exigir sua nota fiscal, quando fazer suas compras, seja onde for. Entidades assistenciais registradas certamente serão as grandes beneficiadas, nesse novo projeto do Governo, em relação à Nota Legal Rondoniense. O que ainda não se sabe é se voltará a haver sorteio de prêmios para quem registrar suas notas. Esse quesito, que na verdade é o que mais envolve o público, teria um custo muito alto e há grande complexidade para coloca-lo em execução, Por isso, está sendo analisado muito mais profundamente, antes da decisão final. Mas que o programa volta em agosto, já está decidido.

SOB O DOMÍNIO DA ESCURIDÃO

Lamentavelmente, a outra ponte sobre o rio Madeira, no bairro da Balsa, está aberta há quase cinco anos, mas até hoje não foi totalmente concluída. Isso mesmo. Em 15 de setembro próximo, daqui a exatos 72 dias, quando completará seu quinto aniversário, como uma das maiores e mais importantes obras públicas já realizadas no Estado, a ponte, que custou 200 milhões de reais, vai passar a noite exatamente da mesma forma como passou até agora: totalmente no escuro. Por incrível que pareça, mesmo com tudo o que custou todo o pacote da ponte, o projeto de iluminação nunca foi feito e muito menos foram destinados recursos orçamentários, para a execução do trabalho. A Fecomércio, através de recursos próprios, doou um projeto completo para a iluminação da ponte, há pelo menos três anos. Custo zero para os cofres públicos. Nem assim o assunto andou. E lá está, sempre às escuras, perigosa para quem a atravessa à noite, principalmente transeuntes e ciclistas, vários já assaltados, a famosa ponte da BR319, sobre o Rio Madeira. Ela teve sua construção iniciada em maio de 2010, foi oficialmente inaugurada na manhã do dia 15 de setembro de 2014.  Tem 975 metros de extensão, 12 metros de largura, 35 metros de altura e…nenhuma lâmpada!



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.