O ex-prefeito de Vilhena, José Luiz Rover, foi condenado a 55 anos de prisão por liderar uma organização criminosa na Secretaria de Comunicação Municipal, em 2014. A decisão foi divulgada nesta quinta-feira (1°) e é assinada pelo juiz de Direito Adriano Lima Toldo, do Fórum de Vilhena. Conforme o judiciário, Rover deve cumprir a pena em regime fechado.

A defesa afirma que Rover segue negando as acusações feita pelo Ministério Público de Rondônia (MP-RO) e que, conforme anúncio já feito, vai recorrer da decisão.

Segundo a sentença, Rover fraudou diversos procedimentos destinados à contratação de publicidade na cidade de Vilhena. A fraude, na ocasião, teve apoio do chefe de gabinete da época, Gustavo Valmórbida, que também foi denunciado pelo MP-RO.

Para roubar os cofres públicos, a denúncia aponta que Rover e Valmórbida teriam se associado ao jornalista Afonso Locks para fraudarem licitações e, com isso, os processos licitatórios eram dispensados para a organização criminosa receber grande quantia em dinheiro.

A quadrilha também tinha aval do secretário de Comunicação da época, José Serafim. A Polícia Federal (PF), que conduziu as investigações na época, descobriu que em 2014 foram desviados mais de R$ 600 mil dos cofres públicos. Apurou-se também que as licitações foram dispensadas por, no mínimo, 11 vezes.


Para o juiz de direito que assina a sentença, Adriano Toldo, Rover é culpado dos crimes, pois tinha pleno conhecimento da ilegalidade de sua ação. Mesmo o ex-prefeito não tendo antecedentes criminais, a decisão aponta que Rover tem personalidade “perversa” e fria, e aponta na decisão que a motivação do crime é “sórdida”.

Gustavo Vamórbida e José Serafim já tinham sido condenados a 76 anos de prisão, cada um, por fazerem parte da organização liderada por Rover. 



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here