Consolidando sua posição no ranking dos estados de economia sólida, o Estado de Rondônia mais uma vez é um dos destaques do último Boletim de Finanças da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), publicado esta semana, figurando em 2º (Letra B) lugar com outros 12 estados, na avaliação de sua situação fiscal, que o coloca em condições de continuar fazendo empréstimos para investimentos com a chancela e garantia da União.

Segundo o secretário Franco Ono, titular da Secretaria de Finanças (Sefin), esta distinção é o resultado de um trabalho austero que vem sendo realizado pelo Estado nas últimas gestões, que resultou no equilíbrio de suas contas, marcado pela obediência às regras da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Para o secretário é estimulante estar entre os melhores no modelo da gestão econômica, mas, mais importante é que este esforço deixa o Estado em condições de continuar fazendo investimentos fundamentais ao seu desenvolvimento, eis que manter-se neste nível é ter um aval contínuo da União, que reconhece a capacidade do Estado de Rondônia de honrar seus compromissos e pagar suas dívidas, tornando-se, por conseguinte, habilitado a contrair empréstimos e outros financiamentos para manutenção de seu desenvolvimento e capacidade produtiva.

Pela análise da STN, Rondônia gasta apenas 48,5% dos 200% permitidos legalmente, de sua Receita Corrente Líquida (RCL) em custeio e investimentos, o que é um importante indicativo de equilíbrio de suas contas. A RCL é o somatório das receitas tributárias de um governo, provenientes das contribuições patrimoniais, industriais, agropecuárias e de serviços, sem considerar os valores das transferências constitucionais regulares.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.