Rondônia caminha firme para um futuro livre da febre aftosa

0
10

Rondônia é um estado que caminha a passos largos para ser reconhecido como área livre de febre aftosa. As vantagens desse status são muitas, vai desde a abertura de novos importadores de carne bovina ao aumento do rendimento para a cadeia produtiva e para o estado. Mas, a medida também requer maior vigilância e cuidados para que sejam mantidas as conquistas de mais de 20 anos de trabalho.

Com isso em mente, o diretor executivo da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Licerio Correa Soares Magalhães, e o coordenador estadual do Pnefa (Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa), Márcio Alex Petró, se reuniram com pecuaristas e lideranças da cadeia produtiva do Cone Sul, em Vilhena, para conversar sobre o assunto e falar da parceria que deve ser ainda mais forte entre o produtor e o serviço veterinário oficial.

“O trabalho desenvolvido pela Idaron é altamente eficiente e foi melhorado com os investimentos feitos nesses últimos meses, mas o produtor, que está dia a dia no cuidado de seu rebanho, será peça fundamental na vigilância e comunicação a Idaron em caso de anormalidades nos animais. Com essa parceria, o Governo do Estado conseguirá, com maior precisão, manter Rondônia livre da Febre Aftosa”, explicou Licerio Correa.

O convite à parceria já foi aceito pelo criador de bovinos e bubalinos, exemplo disso é o fato de que a reunião em questão foi provocada pelo próprio setor produtivo do Cone Sul. Já preocupados com os efeitos dessa mudança de cenário, os pecuaristas solicitaram à Idaron uma reunião com objetivo de esclarecer pontos relacionados à suspensão da vacina, bem como demonstrar qual será o papel de cada ator nessa nova estratégia adotada pelo Estado.

“O trabalho não é fácil, mas se cada produtor e entidade cumprir seu papel, Rondônia logo ingressará em mercados mais exigentes e rentáveis. A preocupação dos pecuaristas é válida e o assunto abordado nessa reunião, em breve, deve ser foco de novos debates em outros municípios”, enfatizou Licerio Correa.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.