Reitor diz que corte de recursos inviabilizará Ifro já a partir de outubro

0
24

Em nota à imprensa divulgada na tarde desta segunda-feira, a diretoria do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (Ifro) se manifestou sobre o bloqueio de recursos realizado pelo Ministério da Educação (MEC).

Ele ressaltou que a medida adotada pelo Governo Federal inviabiliza o funcionamento da instituição a partir de outubro deste ano. “Com os cálculos que fizemos, considerando apenas as despesas obrigatórias, se esse bloqueio for mantido, a instituição não conseguirá funcionar de forma plena. Vale ressaltar que, já teremos prejuízo nas ações de ensino, pesquisa e extensão e capacitação de servidores, desde agora. Já cancelamos reuniões de trabalho e atividades didático-pedagógicas, suspendemos editais de pesquisa e extensão, em razão desse bloqueio. Então é uma situação extremamente delicada não só para o Instituto Federal, mas para a Rede Federal como um todo”, alerta o gestor. 

Esta medida atinge e limita o funcionamento das 11 Unidades e 143 polos de Educação a Distância, com prejuízo à oferta de educação pública, gratuita e de qualidade. “O bloqueio no Ifro corresponde a mais de R$ 13,5 milhões, o que equivale a 37% do orçamento de custeio previsto para o ano de 2019.”


“Iniciamos o ano comemorando o crescimento de R$ 6,5 milhões em relação a 2018, como resultado do crescimento das ações institucionais, especialmente a redução da evasão escolar e o aumento das matrículas. Agora fomos surpreendidos com esse bloqueio que implica, na prática, ao invés de crescimento, uma queda do orçamento atual em relação a 2019”, esclarece o reitor do Ifro, Uberlando Tiburtino Leite.

Com o bloqueio, os serviços básicos de energia elétrica, água, limpeza, conservação e segurança, necessários ao funcionamento da Instituição, serão prejudicados. O reitor destaca que o Ifro já realiza, desde 2015, ajustes nas despesas institucionais. “Já reduzimos o quadro de pessoal terceirizado, promovemos a eficiência nas aquisições, destinando recursos para as ações de ensino, pesquisa e extensão, necessárias para a melhoria da permanência e êxito dos alunos. Portanto, não há mais condições de absorvermos nenhum corte, e qualquer redução orçamentária implicará em prejuízos às atividades da instituição”, observa. 

Para discutir a situação orçamentária do Ifro e na tentativa de sensibilizar o governo para reverter esta situação, o Reitor do Ifro se reúne, esta semana, com a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) [dia 06], e com o Ministro da Educação [dia 10]. “Ainda pela manhã de segunda-feira foram apresentados, ao Secretário da Setec, os avanços obtidos nos últimos anos pelo Instituto Federal de Rondônia e os impactos que teremos, caso os cortes no orçamento sejam mantidos”, finaliza o reitor.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.