Recuperação das bases de sustentação das Três Caixas D’Água começa em 30 dias

0
17

A primeira fase da obra de recuperação e restauração das bases de sustentação de uma das Três Caixas D’Água, na região Central de Porto Velho, está prevista para começar no prazo de 30 dias, segundo informou o engenheiro civil da Semusb, Alan Bezerra. Parte da estrutura, foi corroída por ferrugem e urina, e o local precisou ser isolado pela Defesa Civil Municipal no dia 12 de outubro de 2018.

À época, o coordenador da Defesa Civil, Marcelo Santos, disse que a falta de manutenção e a urina de pessoas que frequentam a praça podem ter colaborado para o problema. “Durante os eventos na praça, as pessoas procuravam aquele local por ser mais escondido e faziam suas necessidades fisiológicas o que acabou comprometendo a estrutura”, disse.

De acordo com o engenheiro Lucas Bezerra Silva, o processo está caminhando, os projetos já estão prontos, e já foram autorizados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), na última semana.

Agora, segundo o engenheiro, o trabalho está na fase de sondagem, que terá que ser feito um escoramento da caixa d’água para que seja realizada a substituição da base que está sendo corroída. “Esse escoramento vai ter que suportar todo o peso da caixa. Para isso, será preciso fazer um afundamento e estrutura provisória para fazer a sustentação. O primeiro passo para que seja feito tudo isso, é fazer a análise de solo, que será executado no prazo de 30 dias”, explicou Alan Bezerra.

Após a análise de solo, inicia o trabalho de escoramento da peça, onde será aberta uma licitação emergencial para a contratação de uma empresa para fazer o escoramento da estrutura. Em seguida, inicia a análise da estrutura para a restauração.


A mesma empresa responsável pelo o escoramento, fará a retirada de um pedaço do material e enviar para um laboratório, onde será descoberto que tipo de metal é feita a estrutura. “A partir daí, será feito outra licitação para a contratação da empresa para fazer a restauração e substituição das peças”, finalizou Lucas Bezerra.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.