Está marcado para o próximo domingo (21) o processo de escolha unificado para os candidatos a conselheiros tutelares em Ji-Paraná. A prova será realizada das 8 às 12 horas da manhã  pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cmdca) e Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas).

A avaliação será aplicada no Instituto Estadual de Educação Marechal Rondon, que fica localizado na Avenida Transcontinental, nº 710, bairro Casa Preta, próximo ao Ginásio Gerivaldão. O Centro Universitário São Lucas é responsável pela elaboração da prova, que será aplicada pela comissão eleitoral com o apoio do Ministério Público.

Foram deferidos para o processo de escolha 57 candidatos que concorrerão a 10 vagas. Eles farão a avaliação objetiva com caráter eliminatório e classificatório, respondendo a questões de múltipla escolha sobre conhecimento específico do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e conhecimentos gerais. 

O candidato deverá comparecer ao local com 30 minutos de antecedência. Os portões serão fechados às 8 horas e não será permitida a entrada de nenhum candidato depois deste horário.

O resultado da prova será publicado no Portal Transparência da Prefeitura de Ji-Paraná e Diário Oficial do Município na segunda-feira (22). Os recursos da prova objetiva poderão ser apresentados até o dia 23. O resultado dos recursos será publicado no dia 25 e o teste de avaliação psicológica está marcado para os dias 26 e 27 de julho. A publicação do resultado final está prevista para o dia 5 de agosto.


OS CANDIDATOS APROVADOS poderão fazer a campanha oficial entre os dias 8 de agosto a 4 de outubro, de acordo com as normativas do Tribunal Regional Eleitoral. A eleição já tem data definida, será dia 6 de outubro.

Os conselheiros eleitos atuarão durante quatro anos no Primeiro e Segundo Distrito da cidade, a partir de janeiro de 2020. Até lá, receberão capacitação necessária para atuar como conselheiros tutelares.

De acordo com informações da presidente da comissão eleitoral, Severina Plácida, a candidatura é individual e não é permitida a composição de chapas ou vinculação a partido político.

Segundo a comissão organizadora do certame a campanha deve ser feita pelos próprios candidato, que deverão sensibilizar os eleitores e pedir o comparecimento aos locais de votação, lembrando que o voto não é obrigatório.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.