TODOS OS PRESENTES AO EVENTO POSAM COM OS ITENS ESPORTIVOS NAS MÃOS

O programa “Pintando a Liberdade de Rondônia, da Secretaria de Estado da Justiça, realizou nesta quarta-feira de manhã (16) a entrega de 1.614 itens esportivos aos projeto “Criança no Esporte” de Ji-Paraná, fundado pelo vereador Gilson Galdino dos Santos (Du Galdino).

A doação foi composta de  bolas de campo e de futebol de salão (200 de cada), seis pares de redes de campo, quatro pares de rede de futebol sociéty e 600 jogos de uniformes (calções e coletes), além de outros itens adicionais.

O evento de entrega do material deu-se no ginásio municipal de esportes Gerivaldo José de Souza, o ‘Gerivaldão’, a partir das 9 horas da manhã. Além do vereador Du Galdino outros vereadores prestigiaram o momento: Marcelo José de Lemos (PSD), Nim Barroso (PRB), Izaías Arnica (PSB), Joziel de Brito (PMDB) e Maria Aparecida Fernandes (Ida dos Idosos/DEM).

Representando todos os jovens que serão agraciados com este material, esteve presente também João Vitor Acoo Silva, de 15 anos, atleta do professor Aderbal, no Gerivaldão. Ele recebeu das mãos do vereador Du Galdino e de Elias Rodrigues da Silva, coordenador do programa “Pintando a Liberdade”, uma bola e um jogo de uniforme completo.

Rodrigues explicou que todos os itens doados foram produzidos por 56 apenados da Penitenciária de Médio Porte (Pandinha),situada  na zona rural de Porto Velho. Este programa, que se mantém com recursos de emendas de deputados estaduais rondonienses, existe desde 1999, ou seja, há 21 anos.


Para a confecção desses 1.614 itens foram dedicados recursos da ordem de R$ 32 mil, empregados na fabricação das bolas, redes e uniformes. Segundo Du Galdino, todo este acervo agora será repassado não apenas às crianças do  projeto “Criança no Esporte” mas a adolescentes de muitos outros bairros da periferia, do Primeiro e do Segundo Distrito de Ji-Paraná, ao longo de 2021.

UM POUCO DE HISTÓRIA — O Programa “Pintando a Liberdade” foi implantado pelo Ministério do Esporte e chegou a Rondônia em 1999. Já naquela época a situação social, política e cultural do Brasil concorria para um elevado índice de desemprego e crescente ociosidade da população ativa, quadro que contribuía para levar a consequências sociais indesejáveis, como o crescimento da criminalidade e a superlotação das unidades penitenciárias.

A Secretaria Estadual de Justiça de Rondônia, visando amenizar o quadro que se instalava, aderiu a este projeto que tem como objetivo principal manter a população carcerária ocupada. Inicialmente foi instalada uma fábrica de bolas da Penitenciária Estadual Ênio Pinheiro dos Santos e, logo depoi, começou a funcionar também o ateliê de costura dos artefatos esportivos.

O Ministério do Esporte financia 90% dos recursos, com contrapartida de 10% do Estado. Todo o material produzido é distribuído para as projetos sociais, escolas da rede pública estadual e municipal, associações ou outras entidades filantrópicas que tenham o esporte em suas atividades.

Os reeducandos — como os do complexo Pandinha, em Porto Velho — que participam do programa têm remissão de pena prevista na Lei de Execução Penal, a cada três dias trabalhados reduz um dia da pena, e também são remunerados pela sua produção.

Ouça a seguir a entrevista do vereador Du Galdino ao repórter Marcos Lock:

 



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here