POR MARILZA ROCHA

Para desenvolver a cadeia produtiva da aquicultura e pesca o governo do estado focou em 2017 nas ações de organização do sistema produtivo; de controle das doenças parasitárias; e na inspeção dos produtos e comercialização para levar o peixe de Rondônia aos mercados de todo o país. O resultado desse trabalho colocou Rondônia em 1º lugar na criação de peixes nativos do Brasil, com uma produção de aproximadamente 94 mil toneladas de pescado em 2017.

O peixe de Rondônia está abastecendo os estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Tocantins, Distrito Federal, Pará, Maranhão, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

Para tratar da sanidade do peixe produzido na região, o governo realizou três seminários, denominado Peixe saudável, nas cidades de Ariquemes, Ji-Paraná e Pimenta Bueno, sendo capacitados mais de 600 piscicultores. “Essa ação foi de suma importância para o setor e contou com o apoio financeiro da Superintendência de Desenvolvimento”, destacou a técnica Ilce Santos, bióloga especialista em piscicultura.

O RESULTADO DO ESFORÇO: PISCICULTORES CAPACITADOS E FORTALECIMENTO DA CADEIA PRODUTIVA COM NOVAS TÉCNICAS DE MANEJO

OUTRA INICIATIVA realizada para beneficiar o setor, segundo ela, foi da Agência de Defesa Agrosilvopastoril (Idaron), com a consolidação da GTA (Guia de Transporte Animal) eletrônica, uma ferramenta que possibilita o piscicultor retirar a guia pela internet qualquer dia e hora sem precisar ir aos escritórios da Idaron.


Para movimentar o setor de pesca foram três grandes eventos organizados em 2017. O primeiro foi a Exposição de Piscicultura do Vale do Jamari (Expovale), em Ariquemes; o outro foi a Rondônia Rural Show, em Ji-Paraná; e também a 1ª Feira Nacional de Peixe da Amazônia (Fenapam) em Ji-Paraná que reuniu produtores, comerciantes e expositores em torno de uma programação que incluiu palestras com especialistas e um show de gastronomia exclusivo com peixes da Amazônia.

“O resultado desse trabalho foi piscicultores capacitados, fortalecimento da cadeia produtiva do peixe com novas técnicas e tecnologias de manejo, a comercialização de produtos e serviços que vem contribuir com o desenvolvimento da piscicultura”, ressaltou Ilce Santos.

PARA ESTE ANO ela adiantou que o governo começa com a execução de um projeto de elaboração de protocolos sanitários e genéticos para laboratório de produção de alevinos, com aquisição de laboratórios móveis para dar suporte aos piscicultores direto nas propriedades. Com esse laboratório móvel será possível fazer análise de água e da sanidade do peixe.

Ela acrescentou que nas rodadas de negócios que serão promovidas este ano o governo vai trazer especialistas representantes de novas indústrias para ampliar ainda mais o mercado de peixe, as feiras tecnológicas e as palestras voltadas ao setor com foco na organização e o fortalecimento das associações e cooperativas para garantir a representatividade do setor nas reivindicações de políticas públicas, do desenvolvimento do setor e a qualidade da produção e mercado.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here