Procura por placas solares registra aumento de 500% em um ano em Rondônia

Ao todo, são 900 consumidores que já geram a própria energia elétrica no estado

0
36

Com objetivo de economizar em uma das maiores despesas domésticas, a energia elétrica, muitos rondonienses têm apostado na instalação de placas solares nos telhados das residências. Segundo a Energisa, empresa distribuidora de energia elétrica em Rondônia, houve um aumento de 540% no número de projetos de instalação de placas solares aprovadas no estado na comparação entre 2018 e 2019. No ano passado foram 195 projetos aprovados, ante 1.248 liberações até outubro deste ano.

A garantia dessas placas, que pode chegar a 25 anos, e a melhora na sensação térmica dentro do ambiente também são algumas das vantagens desse modelo de geração de energia. Atualmente, 109 projetistas estão cadastrados junto à Energisa e podem iniciar os processos para instalação dos equipamentos.

Ao todo, são 900 consumidores que já geram a própria energia elétrica no estado. Em 2018, o excedente gerado para a rede (energia gerada e não consumida pelos clientes que têm energia solar) foi de 86 mil megawhats.

Moradores de Porto Velho, David Barbosa e Maria Luiza Nogueira contam que pagavam cerca de R$ 450 por mês de conta de energia. A expectativa do casal é que esse valor caia em 90% com o uso das placas solares que instalaram recentemente no imóvel da família. A gente sempre na televisão que energia solar tinha noventa e cinco por cento de economia, então a médio prazo compensa a gente fazer esse investimento“, diz o aposentado.

O empresário do ramo de energia solar em Porto Velho, Augusto Oliveira, revela que a procura no comércio dele aumentou em cerca de 50%. Nós estamos com dois meses e meio de loja aberta e a procura vem gradativamente aumentando. Na questão da procura, temos desde pequenas empresas, residências e grandes comércios e indústrias também”.


João Duque, empresário, acredita que além da questão ambiental, já que é uma energia limpa, fatores econômicos dão força ao mercado de energia solar. “Um dia, se pessoa pensa em vender esse imóvel, por natureza ele fica majorado provavelmente em mais vinte, trinta porcento. É uma forma de não só valorizar o patrimônio, como também de poupança”.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.