O jornalista Marcos Lock recebeu via whatsapp, no começo desta manhã de segunda-feira (11), o relato sobre como foram os momentos de apreensão vividos por seu primo com a chegada do furacão Irma em Celebration Orlando, próximo a Orlando, na Flórida. Há cerca de seis meses ele reside lá com a mulher e dois filhos.

Entre outras informações ele disse que a TV local informava a falta de energia para 4.2 milhões de pessoas na Flórida mas, em sua casa não houve interrupção deste serviço. A televisão, por meio dos boletins constantes, também transmitia o apelo das autoridades de Orlando para que todos minimizassem o consumo de água.

Conta ainda o primo do jornalista que há um toque de recolher em vigência até as 18 horas, que visa proteger especialmente os estabelecimentos comerciais de saques. Os informes dão conta que, no início desta tarde, 60% da população de Orange County estava sem energia elétrica.

IMAGENS REGISTRADAS DA JANELA DA CASA DURANTE ESTA MANHÃ

Também por meio do aplicativo ele enviou fotos e deu mais detalhes sobre a furiosa passagem do tornado por lá:

“O furacão está terminando de passar agora e perdeu força. Creio que ele tenha passado para a categoria 1. Segue com rajadas fortes de vento que ainda impressionam pela sua força. O toque de recolher vai até 18 horas de amanhã. Por ordem das autoridades, não se pode sair na rua até passar o risco de perigo provocado pelo tornado.”


“[08:28, 11/9/2017] Do nosso lado, onde moramos, foi uma noite tranquila e sem problemas maiores. Não tivemos falta de energia, assistimos filmes e fomos dormir as três da manhã horário local. Mas vejo que a experiência foi diferente entre os conhecidos. Para o momento minha única hipótese é que, dependendo da exposição ao vento ser maior ou menor, a percepção de sua força foi impressionante.”

“Vale lembrar que todos temos o toque de recolher até as 18 horas de hoje. Ninguém pode sair de casa ou hotel. Ontem à noite quando vimos a tempestade pela varanda chamei meu filho para que visse aquela imagem que, para nós brasileiros, equivale ao de uma fortíssima tempestade com chuva e vento . Ele bateu fotos e filmou! Como a direção do vento não jogava a água em nosso lado podíamos ir até a beirada da nossa varanda com tranquilidade.”                                      

“Estamos entre várias casas e a do nosso lado Leste, do lado do Atlântico, de onde vinha o vento, funcionou como uma espécie de barreira diminuindo o impacto sobre a nossa residência. Algumas pessoas, como um casal de amigos nossos, mais experientes com furacões e com a casa mais exposta de frente para um lago, disseram que a noite foi difícil.”

 “Em alguns dos comentários que recebemos de amigos por meios dos quais podemos ver a diferença de sensação:                       

[08:28, 11/9/2017]: Aqui na região do hotel foi ‘tranquilo’. O hotel já voltou às suas atividades. Se não me engano ficamos sem luz por pouquíssimo tempo e do lado de fora tem algumas árvores caídas, mas nada muito grave. Mas estamos bem.”                        

[08:28, 11/9/2017]: “Bom dia amigos, por aqui tudo bem, mas foi uma noite de terror, os ventos foram ensurdecedores e ainda continua ventando muito, mas cremos que o pior já passou.” 

[09:00, 11/9/2017] “Então o que temos agora, como na noite anterior, são momentos de baixo intensidade do vento, alternado por rajadas de ventos.”

[09:17, 11/9/2017]: “Foi uma noite tranquila porque nos preparamos. Colocamos colchões grandes nas janelas da sala e dos quartos, apoiados pelas estruturas. Fomos para o banheiro de hóspedes e ficamos lá até toda a noite. Foi muito desconfortável, mas não sentimos o perigo. Ainda venta muito e a família dorme! Graças a Deus, até aqui tudo bem! Bom dia pra todos!”



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here