Prefeitura implanta coleta seletiva em Ji-Paraná a partir do Primeiro Distrito

0
204
EQUIPE DA COOPERATIVA DE CATADORES RECOLHE LIXO RECICLÁVEL EM ECOPONTO NO PRIMEIRO DISTRITO

Os bairros Urupá , Centro, Jardim dos Migrantes, Casa Preta, Dom Bosco, Vila Jotão e Nova Brasília serão os primeiros que irão receber o programa de Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos que está sendo implantado em Ji-Paraná pela Prefeitura Municipal em parceria com a Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Ji-Paraná (Coocamarji).

O programa é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente visando instruir os moradores sobre a importância de se dar um destino adequado ao lixo.  A intenção é ir aos poucos expandido o número de bairros atendidos, chegando a 20% da cidade nos próximos seis meses e a 50 % dos bairros até julho de 2021.

As equipes da Cooperativa estão passando pelas ruas dos bairros, visitando os moradores e orientando como deve ser realizado o descarte dos resíduos secos. Também é entregue os sacos específicos com capacidade de 100 litros onde a população deve acomodar os materiais.

Nos dias agendados, uma equipe com o caminhão da Coocamarji passará recolhendo os sacos e transportaram os resíduos até a sede da cooperativa onde será separado para o processo de reciclagem.

Nos sacos distribuídos pela cooperativa aos moradores devem ser colocados os resíduos secos que são compostos, principalmente, por metais (como aço e alumínio), papel, papelão, caixas de tetrapak, diferentes tipos de plásticos e recipientes de produtos de limpeza.


O cronograma de atendimento desses bairros acontecerá na segunda-feira (21) no Urupá, Centro e Jardim dos Migrantes; Quarta-feira serão atendidos o Casa Preta e o Dom Bosco; e na Sexta-feira a Vila Jotão e o Nova Brasília. A coleta acontece no período da manhã.

A SECRETÁRIA DE MEIO AMBIENTE, Kátia Casula, explicou que no início do mês passado a prefeitura firmou a parceria para que a Coocamarji realize os serviços que envolvem a coleta, transporte, triagem, processamento e destinação de final de resíduos recicláveis e reutilizáveis no âmbito do município.

Com a parceria firmada, a cooperativa dos catadores, que é formada por cerca de 28 famílias, receberá o valor de R$ 22.866,40 por mês, ou seja, R$ 274.396,80 por ano.

De acordo com Kátia Casula, a parceria resulta em economia para o município e renda para as famílias que trabalham com reciclagem, além de diversos ganhos ambientais. Os catadores atualmente já são responsáveis pela coleta nos quatro Ecopontos existentes na cidade.

Kátia ressaltou que o sistema que está sendo implantado tem se mostrado bastante positivo. Em um teste realizado pela Semeia e a Cooperativa, os catadores conseguiram aproveitar 105 toneladas de lixo reciclável que não foram para o aterro sanitário, representando uma economia de mais R$10.000,00 aos cofres do município. 



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here