Prefeito Marcito discorda de critério do estado que mantém Ji-Paraná na Fase 1

0
92

Em entrevista concedida na manhã desta quarta-feira (19) ao radialista Fábio de Souza, na Rádio Alvorada, o prefeito de Ji-Paraná, Marcito Pinto (PDT), questionou os critérios avaliativos do Governo do Estado com o plano de ação de enfrentamento ao Coronavírus. Ele apresentou dados dizendo que municípios com índices piores do que Ji-Paraná estão nas fases 2 e 3 o que, segundo o Prefeito, é uma grande injustiça com a cidade e com os empresários do município.

Marcito também ressaltou que a macrorregião II, na qual Ji-Paraná está inserida, está recebendo tratamento desigual quando comparada à Macrorregião I quanto a quantidade disponível de leitos de UTIs. O prefeito cobrou os deputados estaduais de Ji-Paraná para que busquem junto ao Governo uma adequação dos critérios de avaliação e uma equiparação dos leitos de UTIs, proporcionalmente ao que foi disponibilizado para a Região de Ariquemes e Porto Velho.

O prefeito lembrou, ainda durante a entrevista, que a cidade está com 10 leitos públicos de UTI, com o prédio recém terminado e com vários equipamentos comprados. Neste sentido ele está buscando junto ao Governo do Estado uma contrapartida  para a operacionalidade desses leitos desde o início deste ano, inclusive.

“A prefeitura está aberta a parcerias para a contratação de médicos intensivistas. A parceria com o Estado é a forma mais sensata para colocar as UTI para funcionar, uma vez que as vagas disponibilizadas em Ji-Paraná vão atender à população de várias cidades, não sendo justo que Ji-Paraná arque sozinha com o ônus de cuidar da saúde de outras cidades”, enfatizou o chefe do executivo.

COM BASE NOS PRÓPRIOS números divulgados pelo relatório diário emitido pelo Governo do Estado, através do Comitê de Ações Integradas, Marcito afirmou no programa que Ji-Paraná possui incidência menor de casos confirmados do que a maioria das cidades. “O percentual de curados de Ji-Paraná é de mais de 87% e, mesmo assim, o município foi colocado na Fase 1”, frisou o prefeito na rádio Alvorada.


Outro ponto alertado por Marcito é que o índice de ocupação de leitos de UTI, que hoje está em 82%, vale para todos os municípios da Macrorregião II, não só para Ji-Paraná. Porém, apenas Ji-Paraná e outras seis cidades foram reclassificadas na Fase 1.

O PREFEITO CRITICOU AINDA a iniciativa do Governo Estadual de decidir realizar uma testagem em massa em Ji-Paraná, sem que antes seja revisto o critério de avaliação, no que corresponde ao número de casos confirmados. Marcito salientou que é a favor da testagem, desde que este critério de número de casos positivos, não incida na decisão de fechar o comércio.

“A própria prefeitura adquiriu e estão para chegar 10 mil testes para a população de Ji-Paraná. Entretanto, a realização desses testes irá elevar os índices de casos confirmados, o que inevitavelmente manterá a determinação do Governo Estadual de manter o comércio fechado. A população tem que entender que é necessário a realização dos testes, mas essa testagem não pode prejudicar o comércio e pôr em risco o emprego de milhares de pais de família.”, ressaltou.

SOBRE OS INVESTIMENTOS previstos para saúde, Marcito esclareceu à população que o município recebeu recentemente, a menos de duas semanas, os repasses do Governo Federal cerca de R$ 15 milhões. Recursos que já estão licitação para serem adquiridos equipamentos hospitalares, medicamentos, testes rápidos, além de insumos hospitalares diversos. Há ainda a previsão de liberação de emendas parlamentares, o que deve ocorrer em breve.

Sobre a arrecadação e o equilíbrio das contas públicas municipais,  o prefeito salientou que houve uma queda de arrecadação próxima de 30 % devido aos reflexos da pandemia. Entretanto, Marcito garantiu que tem mantido a prefeitura com solidez orçamentária, com os salários todos em dia, pagamento dos fornecedores sem atrasos, com recursos disponíveis para a realização de investimentos e sem criar endividamento para os cofres municipais.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here