O plenário da Câmara Municipal viveu hoje um momento histórico de mobilização popular. Poucas vezes viu-se uma movimentação tão intensa e aguerrida quanto a protagonizada por centenas de pessoas nesta manhã de terça-feira (15). Durante mais de três horas elas se posicionaram com muito vigor e energia contra um aumento de salário que seria votado na sessão para prefeito, vice-prefeito e vereadores.

PANFLETO DIGITAL QUE CIRCULOU PELAS REDES SOCIAIS NESTA SEGUNDA FEIRA CONCLAMANDO PARA O PROTESTO

O protesto foi organizado basicamente pelas redes sociais nesta segunda-feira (14) a tarde, com a massiva circulação de panfletos digitais chamando para a sessão da Câmara nesta terça-feira. O que de fato aconteceu. Muito mais gente do que comporta o plenário compareceu à Câmara Municipal. Parte entrou e lotou o ambiente, provocando uma grande aglomeração.

Dezenas de pessoas ficaram do lado de fora tentando entrar e mediram forças com barreira de policiais armados na porta. Em dado momento, entraram em luta corporal com os agentes, forçaram a porta e o tumulto culminou em momentos dramáticos, felizmente logo controlados.

A MULTIDÃO FORÇOU A PORTA E TENTOU INVADIR O PLENÁRIO/Igor Kraemer

Lá dentro, Inflamados e liderados por algumas pessoas que, a todo momento, gritavam palavras de ordem, a multidão interrompeu a sessão muitas vezes e a polícia precisou adverti-la pelo megafone e pelo microfone, para que se comportasse de modo civilizado. Apesar das inúmeras paralisações, os trabalhos prosseguiram uma vez que esta sessão foi a última do ano e as matérias precisariam ser votadas necessariamente.

Diante de tantas manifestações, o resultado foi que a ordem do dia terminou suspensa e uma outra precisou ser redigida às pressas contemplando a vontade popular. Ficou, portanto, como está o salário atual do prefeito que é de R$ 13.416,00 e sendo completamente rejeitado o aumento de 83%, o que o elevaria para R$ 24.148,80. No caso do vice-prefeito foi repudiado o aumento de 137%, que subiria o salário para R$ 20.526,00, permanecendo em R$ 9.100,00. Já os salários dos vereadores de R$ 9.100,00, que poderia ganhar o patamar de R$ 14.155,00, se fosse aplicado o aumento de 55,5% foi igualmente refutado.  


Não só as elevações salariais foram canceladas como também a majoração do IPTU em 2021 em cerca de 3% também foi derrubada por unanimidade pelos edis. Os manifestantes, na verdade, queriam mais: eles reivindicaram também a redução dos atuais salários de prefeito, vice e vereadores. Mas neste quesito, não foram atendidos.

Ouça a seguir entrevistas do repórter Marcos Lock com vários vereadores na tumultuada e polêmica seção desta terça-feira, que entrou para a história da Câmara Municipal de Ji-Paraná:

Vereador Edivaldo Gomes (acima)

Vereador Anderson da Exceller (acima)

Vereadora Cláudia de Jesus (acima)

Vereador Lorenil Gomes (acima)

Vereador e presidente da Câmara Municipal Joaquim Teixeira (acima)

Confira imagens da mobilização da população. Colaborou o fotógrafo Igor Kraemer:

Veja também imagens em vídeo da mobilização das pessoas no plenário da Câmara, começando pelo momento em foi cancelado o aumento dos salários:



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here