População responde muito bem ao mutirão contra o Aedes aegypti

MORADORES DO JARDIM PRESIDENCIAL ATENDERAM À SOLICITAÇÃO DA PREFEITURA E DEIXARAM MATERIAL INSERVÍVEL NAS CALÇADAS. FUNCIONÁRIOS MUNICIPAIS FIZERAM A COLETA.

2
167
DSC_0031
A POPULAÇÃO COLABOROU E DEIXOU MUITO ENTULHO NA FRENTE DAS RESIDÊNCIAS

O bairro Jardim Presidencial , no Primeiro Distrito de Ji-Paraná, amanheceu neste sábado (4) sob uma rotina diferente. Logo cedo, às sete da manhã, as ruas já registravam a movimentação incomum e ruidosa de duas pás carregadeiras, uma retroescavadeira, cinco caminhões basculantes, seguidos de uma equipe de 12 funcionários da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) Prefeitura. Para os menos avisados era o mutirão empreendido por três secretarias municipais — além da Semosp estavam lá no Presidencial outros 20 agentes da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e mais dez da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia).

DSC_0017
OS CAMINHÕES BASCULANTES FIZERAM VÁRIAS VIAGENS, SEMPRE MUITO CARREGADOS

O trabalho da Semosp com as máquinas foi o de recolher todos os entulhos já deixados pelos moradores na frente de suas casas, para evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito vetor de doenças como dengue, da chikungunya e da zika vírus. A população foi avisada dois dias antes por conta de outra varredura no bairro quando agentes da Semusa distribuíram folhetos, nos quais havia um convite para que todos depositassem nas calçadas entulhos, objetos sem uso e quaisquer outros materiais inservíveis, nos quais o mosquito Aedes pudesse se reproduzir. Desta forma, o recolhimento por parte da Prefeitura seria mais fácil e rápido.

Foi o que aconteceu. Os cidadãos responderam à solicitação e deixaram muita coisa para ser carregada surpreendendo a equipe da Semosp. Segundo Bráulio Barbosa, diretor geral de Obras da Semosp, com tanta coisa para recolher o trabalho terá continuidade. “As pessoas colaboraram e deixaram muito entulho pra gente levar. Na hora que chegamos estava tudo já na rua.Vamos voltar na segunda-feira para concluir a nossa missão aqui”, declarou à reportagem do Repórter-RO. Ele revela que, infelizmente, muito material abandonado foi encontrado em terrenos baldios. “Tinha uma caminhonete que estava num terreno aí em cima há muitos anos. Tinha muito lixo e mosquito lá. A vizinha já devia ter denunciado essa situação”, acrescenta o diretor.

DSC_0023
FUNCIONÁRIOS DA SEMUSA ATUARAM NESTE SÁBADO E DOIS DIAS ANTES, AVISANDO A POPULAÇÃO DO MUTIRÃO

Os integrantes da Saúde também ficaram muito satisfeitos com a resposta positiva da população. Uma das equipes que estava no bairro no sábado, formada por cinco agentes comunitários de saúde (ACSs) das equipes 6 e 17, lotadas na UBS Dois de Abril, e pela técnica da equipe de Saúde da Família, Zoraide Lamego, estava distribuindo sacos de lixo grandes para o recolhimento de objetos descartados. A equipe atestou a resposta positiva dos moradores. “O pessoal está colaborando muito”, disse a ACS Maria Helena de Melo. Outra ACS, Joana de Melo, relatou que passou em uma casa e tudo parecia bonito e arrumado. Mas ao examinar os vasos de plantas ela constatou que estavam lotados de larvas do Aedes aegypti. “O morador disse que tinha feito a revista no dia anterior, mas sua esposa regou as plantas e em apenas um dia as larvas
apareceram”
, contou.     

DSC_0029
AS EQUIPES DE ACS 6 E 17 DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DOIS DE ABRIL: SURPREENDIDAS COM A COLABORAÇÃO GERAL

Fala o povo — Morador do bairro há duas décadas, o pedreiro Jacimar de Souza e sua esposa Piedade Coelho atenderam o pedido da Prefeitura e deixaram muitos materiais na frente de casa, entre eles galhos secos de um pé de manga, madeiras velhas e muitas telhas. Bem informados, eles procuram manter o terreno de sua residência limpo e tomam muito cuidado com água empoçada. Eles foram parabenizados pelas equipes da Semusa que passaram por lá. Nenhum dos dois contraiu dengue até hoje.


A moradora e dona de casa Alice Wolfran, que está no Jardim Presidencial há 30 anos, deixou um dia antes na frente de sua casa um pneu e um fogão velhos e uns pedaços de cerâmica de piso. “Eu fiquei sabendo quando as meninas da Saúde passaram aqui e ‘ponhei’ tudo aqui na frente na sexta-feira”, disse.  Ela acha que a prefeitura já deveria ter feito este trabalho. “Até que enfim o prefeito está tomando esta iniciativa. Acho que demorou um pouco”,  pontuou a cidadã.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here