Agentes da Polícia Civil e Polícia Técnica, juntamente com o advogado do vereador Clodoaldo Cardoso (PR), além do delegado Cristiano Mattos, fizeram a reconstituição do crime que envolveu o político na tarde desta segunda-feira (19).

A ação foi necessária tendo em vista que há divergências entre o que disseram as testemunhas que presenciaram e a versão do próprio Clodoaldo. Ele é acusado de ter tirado a vida de Paulo Alves Máximo com dois tiros, depois de uma discussão no último dia 10 por um suposto crime passional. O delito aconteceu na Rua Tiradentes, Bairro São francisco, segundo distrito de Ji-Paraná.

O caso ganhou repercussão em Ji-Paraná e em todo o estado de Rondônia por tratar-se de um vereador. Neste momento ele encontra-se preso preventivamente enquanto as investigações prosseguem.

O VEREADOR CLODOALDO PERMANECE como titular no cargo público na Câmara Municipal de Ji-Paraná (RO). Segundo a assessoria da Câmara, existem pelo menos duas alternativas para que o vereador seja afastado.

Numa primeira opção, ele poderá perder seu cargo eletivo pelo número de faltas nas sessões. De acordo com o regimento interno, serão toleradas ausências em 11 sessões. Outra possibilidade é que o suplente do vereador peça formalmente o afastamento do titular, o que será analisado em reunião plenária.




CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here