Pesquisa revela que brasileiro, incluindo o rondoniense, está usando menos protetor solar

0
88

Segundo uma pesquisa nacional que envolveu 1.307 pessoas em 21 capitais brasileiras, incluindo Porto Velho, o número de brasileiros que não aplicam filtro solar diariamente aumentou e já chega a quase  65% da população. Em 2015 esse percentual era de 53% e, em 2014, de 57%. “A redução no uso diário do filtro mostra que a conscientização não fez com que a população fizesse uso correto e diário do produto. Talvez pelo alto custo e situação de crise financeira que se instaurou”, analisa Lucas Portilho, pesquisador em Cosmetologia e idealizador do estudo.

Esta falta de uso do produto e a grande intensidade dos raios solares na Região Norte do Brasil são explicações prováveis para a preocupante incidência de casos de câncer de pele em Rondônia, em particular em Ji-Paraná. Num período de 10 anos, a Campanha de Combate ao Câncer de Pele, realizada anualmente em Ji-Paraná pelo Instituto da Pele de Rondônia, atestou que este problema se faz presente em 14% das mulheres e em 20% dos homens examinados. Nesse período foram feitas 6.320 consultas gratuitas por dermatologistas da cidade, com a constatação de 786 casos confirmados. 

Perigo — Presente na natureza em níveis muito maiores e mais expressivos que a radiação UVB (que causa queimaduras solares), a radiação UVA é muito perigosa. “Diferentemente da UVB, a radiação UVA atravessa vidros e janelas e penetra profundamente na pele, chegando até a derme, camada mais profunda da pele e onde se localizam as fibras de colágeno e elastina, gerando uma quantidade altíssima de radicais livres”, explica Portilho, que atua no desenvolvimento de filtros solares há mais de 10 anos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o câncer de pele não-melanoma (não maligno), causado pelo sol, é o mais comum no Brasil dentre todos os outros tipos desta doença, com cerca de 134 mil novos casos em 2012 e 2013. Porém, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer, somente em 2016, o Brasil registrou aproximadamente 175.760 novos casos de melanoma (maligno), o mais letal e agressivo dos tumores cutâneos, sendo 80.850 em homens e 94.910 em mulheres.

A pesquisa ainda demonstrou hábitos dos consumidores com relação ao uso do filtro solar:


♦ 69% dos entrevistados não reaplicam o fotoprotetor, percentual igual ao de 2015 (71% em 2014);

♦  Metade da população não utiliza o produto em dias nublados (74% 2015 e 70% em 2014);

♦ Apenas 6% consultam o dermatologista para indicação do melhor filtro (13% em 2015 e 14% em 2014)♦

♦  32% aplicam o produto apenas no rosto (53% em 2015 e 52% em 2014)

♦  41% se expõem ao sol apenas pela manhã por acreditar ser o horário mais seguro (52% em 2015 e 55% em 2014)

♦ Apenas 7% utilizam roupas para se proteger do sol (10% em 2015 e 8% em 2014).

Para a pesquisa, foram entrevistadas 1.307 pessoas de 21 capitais brasileiras, incluindo Porto Velho.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here