Os bailarinos Mirela Leão, 10 anos, e Caio Julliano Monteiro, 11 anos, de Porto Velho, aprovados este ano na concorridíssima seletiva para a prestigiada Escola de Ballet Bolshoi, em Joinville (SC), estão arrecadando recursos para ajudar nas despesas iniciais com a meta de se estabelecer naquela cidade. Eles precisam de R$ 10 mil cada um e até o momento arrecadaram, juntos, apenas R$ 425,00.

Eles já passaram para a história como os primeiros bailarinos de Rondônia a conseguir ingressar no seleto grupo da Escola Bolshoi/Brasil. Da região Norte foram aprovados apenas quatro, incluindo a dupla porto-velhense. O Brasil é o único país do mundo onde o ballet russo tem uma extensão de sua escola de formação profissional.

“Foi um misto de alegria e apreensão ao mesmo tempo”, afirmou Alcermira Leão, mãe da Mirela, que caiu aos prantos ao receber o resultado quando ainda estava em Joinville. “Foi muita pressão durante a audição”, afirmou a pequena.

A seletiva para escolher os bailarinos de Rondônia que participariam da audição nacional ocorreu em maio deste ano em Porto Velho, promovida pela Prefeitura, via Funcultural. 

Foi a primeira vez que a Escola Bolshoi veio ao estado fazer uma audição. Dos 250 bailarinos inscritos de todos os municípios, apenas 19 conseguiram ser aprovados para concorrer na etapa nacional em Joinville e destes apenas Mirela e o Caio conseguiram êxito nesta fase, composta de três etapas nas quais os participantes iam sendo eliminados. Teve também teste de língua Portuguesa e de Matemática.


Participaram da seletiva em Santa Catarina bailarinos do Brasil, Argentina e Uruguai. Na faixa etária da Mirela, eram nada menos do que 250 meninas concorrendo para uma vaga. Já os meninos eram 100 para cada vaga.

O CURSO TEM DURAÇÃO de oito anos.  Em virtude de ainda serem crianças, os pais não querem deixá-los morando sozinhos em Joinville sem a companhia de um membro da família. Mirela irá acompanhada da mãe, Alcemira  Leão; e Julliano, da avó.

Andreia Monteiro, mãe de Julliano, afirmou que a avó dele deixará de trabalhar para acompanhar o neto. Atualmente ela é cozinheira em um restaurante na. capital rondoniense. “Está sendo uma reviravolta em nossa família”, declarou. A avó e o neto pretendem morar em uma quitinete, próximo à Escola Bolshoi.

Precisamos comprar cama, geladeira, fogão e os utensílios domésticos”, disse. “Se levarmos esses objetos daqui só o frete sai por R$ 8 mil reais”, acrescentou. O dinheiro será usado ainda ajuda para comprar a passagem aérea. Os dois meninos receberão bolsa integral no Bolshoi, que inclui mensalidade, alimentação e vestimenta para as aulas.

Alcemira  Leão pediu demissão do trabalho e está providenciando a mudança. Além de Mirela, ela levará os outros dois filhos pequenos. “Não posso deixá-los”, destacou. O marido fica. “Ele só irá quando conseguirmos algum trabalho lá”, declarou.

Indagada se vale a pena todo o sacrifício para realizar o sonho da filha, ela disse que sim. “Faço qualquer sacrifício, até mesmo vender água mineral nas ruas de Joinville para que ela se profissionalize”, afirmou. “Mirela tem o mundo a seus pés, ela ama o que faz e conseguiu aprovação para o Bolshoi competindo com o Brasil inteiro e alguns países da América do Sul. Como poderei interromper a vida profissional de um talento desse?”, indagou.

Link para contribuir com Mirela: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/mirela-no-bolshoi

Link para contribuir com Caio: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/caio-vai-a-bolshoi-joinville-sc



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here