Para L. Gomes falhas na gestão fizeram cidades regredir à Fase 1

0
22
 O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, O DEPUTADO LAERTE GOMES. Foto: Marcos Figueira

O presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB), lamentou a edição do novo decreto governamental, que reclassificou sete municípios, que terão que voltar à Fase 1 nesse período de calamidade pública. Para ele, isso pode pode resultar em grandes prejuízos para muitos comerciantes.

“E pior que isso, pode resultar no desemprego de centenas de comerciários. Pessoas que dependem do trabalho para colocar comida na mesa podem ficar sem trabalho. E tudo isso por falhas na administração pública, e aqui a crítica vai aos municípios”, disse o presidente Laerte Gomes.

O parlamentar lembrou que, no caso de Ji-Paraná, o município tem mais de R$ 10 milhões na conta, cerca de dez ventiladores e respiradores no Hospital Municipal. “Mesmo assim a administração não conseguiu em quase seis meses criar dez leitos de UTI”, frisou.

“O Estado, através de uma indicação nossa, contratou e criou em Ji-Paraná seis leitos de UTI e 15 leitos clínicos no Hospital Cândido Rondon (HCR). Nesse intervalo era possível o município criar leitos também, mas faltou vontade, atitude ou coragem”, prosseguiu duramente o presidente Laerte Gomes. 

Segundo Gomes, para que o município volte à Fase 3 a prefeitura de Cacoal, que firmou um convênio com o Estado, precisará criar mais dez leitos de UTI e mais 12 leitos de UTI serão necessários no Hospital Regional


“Só assim vamos voltar à Fase 3. Espero que volte logo, porque senão será o caos. Me desculpem o desabafo, me desculpem o tom. Esse não é meu perfil, mas é inadmissível que, por falta de gestão pública, nossos comerciários, nossa população paguem a conta”, disparou o presidente da ALE-RO.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here