Cinco pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (4) durante uma operação da Delegacia de Homicídios de Cacoal para coibir os crimes de pistolagem e agiotagem na região. Entre os presos está um suspeito de ter participado da morte do advogado e procurador da Câmara de Vereadores Municipal, Sidnei Sotele. Ele foi assassinado a tiros na tarde do dia 7 de maio deste ano.

De acordo com a Polícia Civil, a ação contou com o apoio de 16 delegados, 17 escrivães e 68 agentes civis que cumpriram, além das prisões, 18 mandados de busca e apreensão em residências localizadas na Zona Rural de Cacoal, Ministro Andreazza, Pimenta Bueno, Santa Luzia e São Miguel do Guaporé.

Ainda de acordo com a Polícia, durante o cumprimento dos mandados, duas pessoas foram presas em flagrante pelo crime de posse ilegal de arma de fogo e munições. 

Segundo o diretor de Polícia Civil do interior, Jeremias Mendes, a Polícia vai seguir com as investigações para apurar se um dos presos tem envolvimento na morte do advogado. “As investigações vão continuar para saber se esse suspeito tem participação da morte do advogado ou não, mas ainda não podemos afirmar”, disse o diretor. 

Um dos casos que a Polícia investiga com a deflagração da operação é de uma tentativa de homicídio praticada no dia 5 de outubro de 2018, no Bairro Jardim Bandeirantes, contra o motorista de uma caminhonete. Os criminosos efetuaram mais de 20 tiros contra o homem, mas somente sete dos disparos o atingiram. A vítima passou por cirurgia e conseguiu sobreviver.


Um dos tiros acabou transfixando o portão de uma residência e atingiu uma mulher, causando lesões leves na vítima.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here