Ouro Preto do Oeste completa 40 anos e reafirma-se como estância turística

0
19

O município de Ouro Preto do Oeste comemorou nesta quarta-feira (16) 40 anos de emancipação política-administrativa. A história do município envolve a colonização no Estado de Rondônia, que teve o seu inicio no final da década de 60, quando o governo federal através do Ministério da Agricultura incentivou a ocupação da Amazônia legal.

O nome de ‘Ouro Preto” teria sido em razão da existência de um tipo de solo roxo e escuro predominante da região. O acréscimo de “Do Oeste” foi necessário para diferenciar do outro nome já existente no Estado de Minas Gerais. 

A Lei nº 6.921, de 16 de junho de 1981, assinado pelo então presidente da República general João Batista Figueiredo instituiu o município de Ouro Preto do Oeste que até então era um distrito de Ji-Paraná.

Atualmente cerca de 34 mil habitantes (sendo 29.597 eleitores) residem nas zonas urbana e rural do município, e no único distrito, Rondominas, distante 45 quilômetros. A área geográfica de Ouro Preto do Oeste já foi maior, dando origem aos demais municípios como Vale do Paraíso, Mirante da Serra, Nova União, Teixeirópolis e Urupá.  

Ouro Preto do Oeste integra a bacia leiteira regional e nos bons tempos já chegou a produzir 230 mil litros de leite por dia, índice que caiu pela metade atualmente.  No setor agrícola o município é destaque na produção de café, feijão e milho e já foi o maior produtor de mamão da região norte do país. 


No turismo a cidade tem nas suas belezas naturais a vocação para o “turismo ecológico”, com trilhas abertas naa reserva do Parque Chico Mendes, onde fica o famoso “Morro da Embratel”, local muito procurado para a prática do “paraglider”.

Outros pontos naturais merecem destaque como o Vale das Cachoeiras localizado na fronteira de Teixeirópolis e Nova União. A cachoeira do Rio Mandi, a mais alta de Rondônia, com queda d’água livre de 32 metros de altura é a principal atração do lugar.

O vale é formado ainda por pelo menos mais 10 cachoeiras menores com queda d’água livre de 3 a 10 metros de altura, onde há a presença de macacos, capivaras e veados.

Também há outros pontos dignos de visita como Rancho Coqueiral, localizado na BR 364 sentido Jaru, distante 5 km do centro; e o agradável Graúna Resort Hotel encravado

na encosta do Morro da Embratel.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here