O Jornalismo de Rondônia está desolado. Todas as homenagens a Cleo Subtil

0
16

Jornalista por mais de 20 anos, Cleonice Subtil de Oliveira Matias marcou sua geração com pautas investigativas e humanitárias, e foi inspiração para diversos estudantes de jornalismo em Rondônia. Cléo, que foi mais uma vítima da Covid-19, morreu na madrugada desta quarta-feira (5) aos 47 anos, deixou três filhos e uma legião de fãs.

Ela lutava contra a Covid-19 desde o dia 20 de abril, dois dias depois de perder o marido para a doença. A jornalista estava internada há 14 dias na UTI do Cemetron, com complicações nos pulmões e rins. Na noite de terça-feira (4), ela foi transferida para o Hospital de Base, onde passaria por uma cirurgia no tórax, mas, antes de realizar o procedimento, não resistiu e veio a óbito.

CLEO COMEÇOU SUA CARREIRA na comunicação como repórter, depois de ter aceitado um convite para fazer uma seleção em uma emissora de televisão local.Ela ingressou na Rede Amazônica em 1995 e, desde então, ocupou vários cargos, entre eles, o de repórter e também de editora-chefe dos telejornais da empresa.

Dentre as tantas reportagens que, pautou, fez e editou, Cléo já reportou notícias do agro, policial, política e alegrou a casa de muitas pessoas com pautas sobre solidariedade e alegria.

Sensível, a jornalista ensinou para seus alunos do Curso Técnico em Rádio e TV, da Fundação Rondônia, local onde lecionou por anos, a importância da empatia no jornalismo. Atualmente, a jornalista fazia parte da equipe de comunicação da Prefeitura de Porto Velho.




CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here