Um inquérito policial em curso na Superintendência da Polícia Federal apura desvios de recursos financeiros do Conselho Regional de Odontologia de Rondônia (CRO-RO) com a suposta participação do ex-presidente e de uma ex-funcionária. Após as denúncias, o Conselho Federal de Odontologia (CFO) decretou intervenção no Conselho Regional de Odontologia de Rondônia.

Em nota, o CRO-RO esclarece que a classe foi surpreendida com as denúncias de irregularidades e suspeitas de desvios de recursos financeiros pertencentes ao Conselho Regional envolvendo o ex-presidente. De acordo com a nota, os órgãos competentes foram devidamente e formalmente informados e o inquérito policial na Polícia Federal visa a apuração dos fatos, bem como devidas imputações aos envolvidos. “A apuração dos fatos mostrará também a isenção daqueles que sempre honraram e cumpriram com louvor suas obrigações como membro do Conselho Regional”, enfatiza o CRO-RO, por meio da nota.

O Conselho Federal nomeou diretoria provisória, compostas pelos cirurgiões-dentistas Dr. Rodrigo Jacon Jacob, para o cargo de presidente interventor; Dr. Gumercindo das Neves Júnior, como tesoureiro interventor, e Dra. Maria Angélica Meira Borre, como secretária interventora.

A nota emitida pelo CRO-RO informa que a diretoria provisória terá o prazo máximo de 180 dias para sanar todas as irregularidades encontradas, convocando eleições no prazo de 180 dias, conforme determina às normas que regem o ato de intervenção. “Os cirurgiões-dentistas nomeados pelo Conselho Federal de Odontologia informaram à classe que a nomeação tem a finalidade de sanar os graves problemas dectados no Conselho Regional”, conclui a nota.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here