Cerca de R$ 500 milhões vão ser aplicados em Rondônia para obras de construções de novas Linhas de Transmissões (os “Linhões”), destinadas à integração de regiões isoladas ao Sistema Interligado Nacional – SIN pela Eletrobras Distribuição Rondônia. A obra já foi autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e está em processo de licitação. A expectativa é de que se inicie em setembro ou outubro desse ano ainda.

Com os linhões, as usinas térmicas das comunidades isoladas serão desativadas, e a nova energia oferecida, de acordo com a Eletrobras-RO, será de melhor qualidade e uma vez que com a substituição do diesel, – um elemento caro e poluente-, a quantidade de gases poluentes será menor, teremos uma fonte mais segura.

As regiões isoladas beneficiadas que vão ser interligadas ao SIN, serão os municípios com acesso a BR-429, a partir de Presidente Médici até Costa Marques e região de Chupinguaia; região da Ponta do Abunã, beneficiando as áreas de Abunã, Vista Alegre, Extrema, Ponta do Abunã e Nova Califórnia; região de Buritis, interligando Ariquemes, Monte Negro, Buritis e Campo Novo e o terceiro Linhão, será feito na região de Machadinho do Oeste, favorecendo os municípios de Machadinho, Vale do Anari, Theobroma, Cujubim e Jaru.

DE ACORDO COM O PRESIDENTE MARCELO REIS, O PROJETO É IMPORTANTE PARA RONDÔNIA PORQUE DIMINUI O CUSTO TOTAL DE GERAÇÃO DE ENERGIA.

Iniciativa da execução do projeto é da empresa

Luiz Marcelo Reis de Carvalho, presidente da Eletrobras (RO), explica que a iniciativa para a execução do projeto é da própria empresa e através de uma resolução da Aneel, a empresa poderia se enquadrar nas determinações das contas CCC, buscando minimizar o custo-país:


“Hoje nós temos em Rondônia 26 localidades em que a energia gerada é feita por geradores a diesel. Dessas 26, 16 é possível se fazer a interligação via linha de subtransmissão ou linhas de distribuição. Então, o nosso pedido foi conforme a subrogação das contas de combustíveis fósseis, ela é paga por todos os consumidores do País para subsidiar a geração de energia nos sistemas isolados, senão, a tarifa fica muito alta pro consumidor só do Estado bancar. Então essas regiões são localidades isoladas, às vezes até com acesso remoto”.

A obra, segundo destaca a Eletrobras, trará como benefício para o Estado uma energia vinda do SIN, onde Rondônia faz parte desse sistema. As regiões isoladas são assim chamadas, conforme explica Luiz Marcelo de Carvalho, porque a única fonte existente atualmente é a usina térmica, a partir da construção dos Linhões, se terá uma interligação física, com uma energia com menos frequência de interrupção, porque é uma fonte muito maior de absorver curtos circuitos e de uma qualidade bem superior à atual, com mais facilidade de expansão.

 



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here