A Mancha Verde é a grande campeã do carnaval de São Paulo em 2019. A conquista foi emocionante e só foi assegurada na leitura do último quesito com uma virada sobre a Acadêmicos do Tatuapé. Esse é o primeiro campeonato da escola, que desfilou sob a orientação e a inspiração do carnavalesco Jorge Freitas. Ele já havia conquistado títulos na Gaviões da Fiel, na Rosas de Ouro e na Império de Casa Verde

A escola levou para a avenida uma discussão sobre a intolerância religiosa e a evolução do povo negro na humanidade com um enredo que homenageava a princesa africana Aqualtune.

ESTA FOI A CLASSIFICAÇÃO FINAL

“Ano passado perdemos no quesito alegoria. Então trabalhamos muito e foi especial conquistar nosso primeiro título justamente nesse quesito”, festejou um membro da diretoria da escola em entrevista à Globo logo após a confirmação da vitória.

A ideia era justamente iluminar minorias como mulheres e negros. Assim surgiu o Enredo “Oxalá, Salve a Princesa! A Saga de uma Guerreira Negra”, que contou com mais de R$ 3 milhões de investimento da patrocinadora do Palmeiras, o que ajudou a escola a elevar o patamar visual apresentado no Anhembi.

APURAÇÃO — Este ano foi apresentada uma novidade na apuração. Passam a ser consideradas todas as notas descartadas de todos os quesitos como critério de desempate para aferição tanto do primeiro lugar como do rebaixamento . Até o ano passado, o primeiro critério de desempate eram as notas do último quesito definido por sorteio.


Após a leitura de dois quesitos, todas as 14 escolas permaneceram empatadas sem perda de pontos, já que não houve atribuição de uma nota que não fosse 10 por mais de um jurado a uma mesma escola.  

QUESITO A QUESITO — A partir do terceiro quesito (Evolução),mais notas abaixo de 10 começaram a ser atribuídas. Mesmo assim, oito escolas mantiveram-se empatadas. Após o quarto quesito (Fantasia), a  Acadêmicos do Tatuapé assumiu a liderança pelos critérios de desempate. A Mancha Verde ficou isolada na segunda posição.

O sexto quesito (Comissão de Frente) levou a Vai-Vai, previamente apontada como uma das favoritas ao título em 2019, para a última posição. Rosas de Ouro, Mancha Verde e Tatuapé mantiveram o empate na primeira posição, com a última liderando nos critérios de desempate.

Mestre Sala e Porta Bandeira foi o sétimo quesito e aquele que garantiu que essa fosse uma disputa entre a Tatuapé e a Mancha, que restaram como as únicas empatadas na ponta, enquanto que a Vai-Vai seguiu como a última, o que fez com que descesse para o grupo de acesso.É a primeira vez que a escola de samba do Bixiga é rebaixada em toda a sua história, da qual fazem parte a conquista de 15 títulos, o que a credencia como a maior campeã do carnaval paulistano.

 



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here