Com as fortes chuvas registradas nas duas últimas semanas, o nível do rio Machado, em Ji-Paraná, ultrapassou nesta sexta-feira (10) os 9 metros — a aferição registrou 9,24m —, o que já é suficiente para que autoridades passem a ficar alertas em relação às famílias ribeirinhas que residem às margens de rios e igarapés do município. 

ENQUANTO PARA UNS O RIO CHEIO PREOCUPA, PARA OUTROS É UM CONVITE AO LAZER

Segundo Luceni Saldana,  responsável pelo registro diário e pelo  envio para a Agência Nacional de Águas (ANA), se continuar chovendo diariamente, não demorará muito para o nível ultrapassar os 10 metros, o que poderá causar alagamentos em vários bairros. Ao tomar conhecimento da elevação da água do rio Machado, o comandante do Corpo de Bombeiros local, tenente BM Dos Santos, informou que a corporação já está de sobreaviso e as providências serão tomadas imediatamente. “Esse nível ainda é suportável, mesmo assim, é preciso que moradores das margens dos rios Urupá e Machado fiquem precavidos quanto a subida do rio de forma repentina como já ocorreu em anos anteriores”, alertou.

Dos Santos, que está em missão no município de Costa Marques, disse ainda, que tão logo retorne à Ji-Paraná, manterá contato com a prefeitura para uma elaboração de plano emergencial, caso seja necessário. 

JET SKIS FAZIAM EVOLUÇÕES BEM PRÓXIMOS À PONTE 

A secretária de Assistência Social Sônia Reigota, por sua vez, informou que até o momento a Semas ainda não foi informada sobre uma possível cheia dos rios Machado e Urupá, em Ji-Paraná. Segundo ela, caso se venha a haver uma cheia a responsabilidade da sua pasta é acolher famílias atingidas, alojá-las em algum prédio público e fornecer toda a assistência enquanto o problema ambiental persistir.

O risco de cheia dos rios Machado e Urupá, além de colocar dezenas de famílias em alerta, também acaba prejudicando a pesca na região central do Estado. De acordo com o presidente da Colônia de Pescadores Z-9, Manuel Dantas, os rios cheios faz os peixes se esconderem nos igarapé, dentro das matas, dificultando muito o trabalho de pesca.


 

ESCREVA UM COMENTÁRIO

 


CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here