A DIRETORA EXECUTIVA DA SEGEP, MICHELE MARTINEZ, APONTA QUE RECADASTRAMENTO TRARÁ AGILIDADE PARA REQUERIMENTOS

 A Superintendência de Gestão de Pessoas (Segep) através da plataforma online de responsabilidade da Diretoria Executiva da Tecnologia da Informação e Comunicação (Detic) acompanha recadastramento dos servidores. E está preocupada.

Até agora dos 49.137 servidores estaduais ativos, somente 30.860 já enviaram a documentação exigida, mas outros 18.277 estão inadimplentes. Destes, 7.445 já estão fora do prazo estabelecido conforme a data de nascimento. O cadastramento no mês de outubro era para os nascidos nos meses de janeiro, fevereiro, março e abril. Já o de novembro, foram para os nascidos em maio, junho, julho e agosto. Para este mês, o recadastramento esperados são os dos servidores nascidos em setembro, outubro, novembro e dezembro.

De acordo com a diretora-executiva da Superintendência Estadual de Gestão de Pessoas (Segep), Michele Martinez, mesmo aqueles que não fizeram o recadastramento conforme o cronograma da data de aniversário podem realizar o procedimento até 31 de dezembro. Aqueles que deixarem de fazer o recadastramento terão os salários de janeiro bloqueados. ‘‘Em janeiro vamos fazer uma listagem para saber quem não entregou os documentos e esses vão para lista de bloqueio’’, afirma.

Já aqueles que fizerem o recadastramento, mas não foram aprovados serão informados por e-mail sobre as pendências que precisam ser resolvidas e terão todo o mês de janeiro para regularizar a situação. Caso não faça o procedimento neste período o salário de fevereiro será bloqueado. Para desbloquear o pagamento, o servidor precisará fazer o recadastramento e ser aprovado pelo RH. De acordo com a diretora, toda sexta-feira será feito o pedido de desbloqueio daqueles que regularizaram a situação durante a semana. Após isso ainda é preciso esperar o prazo para a instituição bancária liberar o recurso.

Segundo a diretora, uma das principais dúvidas dos servidores é quanto os tipos de documentos que precisam ser enviados. Tem aqueles que querem substituir um documento exigido por outro tipo de documentação, o que não é permitido. Há também os que têm dúvidas de como conseguir a documentação exigida. Um das dicas no caso do CPF é que além de scannear o próprio cartão, o servidor tem outra opção através do site da Receita Federal.

É o próprio servidor quem realiza o recadastramento através do endereço eletrônico www.intranet.ro.gov.br. Na plataforma, é preciso preencher o formulário com dados pessoais, declarar dependentes; grau de instrução; dados bancários e lotação. Além de anexar documentos em formato pdf, no tamanho máximo de 400kb por arquivo.

Os documentos a serem anexados são:

Cadastro de Pessoa Física – CPF; * Apenas frente

Documento de Identidade – RG;*Frente e verso

Título de Eleitor;* Apenas frente

Carteira de Conselho Profissional;

Comprovante de residência atualizado;* Quando não estiver no nome do servidor é preciso anexar junto declaração do proprietário da residência

Certificado de Reservista para homens de até 60 anos;

Carteira Nacional de Habilitação – CNH para o cargo de motorista;

Passaporte para os servidores estrangeiros;

Certidão de Nascimento ou Certidão de Casamento ou Escritura Pública de União Estável, assinada pelo casal;

Certidão de Nascimento dos filhos dependentes econômicos ou documento de tutela, curatela ou guarda judicial;

Certificado de nível médio ou fundamental expedido pela entidade de ensino ou diploma de conclusão de curso superior devidamente reconhecido pelo MEC, caso não tenha, emitir uma declaração;

Certificado de cursos de especialização, mestrado ou doutorado, reconhecidos pelo MEC;

Número de PIS/Pasep (documento de comprovação);

Comprovação de CID para as pessoas com deficiência;

Comprovação de conta corrente do Banco do Brasil.

Ainda não há comentários, seja o primeiro.