O arcebispo emérito de Porto Velho Dom Moacyr Grechi morreu nesta segunda-feira, aos 83 anos depois de sofrer duas paradas cardíacas. Ele estava internado no Hospital 9 de Julho, na Capital, onde tratava uma infecção abdominal.

O enterro do arcebispo emérito  será realizado a partir das 9 horas amanhã, quarta-feira, na Catedral Metropolitana da Capital. O velório está acontecendo no mesmo local desde às 6 horas, segundo informações da Arquidiocese de Porto Velho.

Durante esta terça-feira serão realizadas três missas: às 8 horas, meio dia e 18h15. “A Santa Missa Exequial seguida de sepultamento será às 9 horas do dia 19, quarta-feira”, diz o informe.

Confira as principais datas da vida do arcebispo.

Em 1949, ingressou no Seminário da Ordem dos Servos de Maria, em sua cidade natal.


Em 29 de julho de 1961, foi ordenado sacerdote.

Em 17 de julho de 1972, foi escolhido para ser bispo da diocese de Rio Branco pelo Papa Paulo VI.

Em 29 de julho de 1998, foi nomeado arcebispo de Porto Velho, tendo tomado posse em 8 de novembro de 1998. Aposentou aos 75 anos e foi substituído em 3 de março de 2012 por Dom Esmeraldo Barreto de Farias.

Foi um dos criadores do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e da Comissão Pastoral da Terra, entidade que presidiu por oito anos.

Destacou-se pela defesa dos indígenas, dos seringueiros e dos trabalhadores rurais. Lutou pela punição dos assassinos de Chico Mendes, que conheceu pela atuação nas Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s).

Fez denúncias contra Hildebrando Pascoal.

Como arcebispo de Porto Velho, contribuiu para a criação da Faculdade Católica de Rondônia, da Comissão Justiça e Paz de Rondônia e para o fortalecimento dos Centros Sociais da Arquidiocese. Teve como lema: “O último de todos e o servo de todos”.

Foi membro delegado pela CNBB da Quinta Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e Caribenho (Conferência de Aparecida), que aconteceu em maio de 2007, onde teve contato com Mário Jorge Bergóglio, então arcebispo de Buenos Aires, que futuramente seria o Papa Francisco.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.