Em apenas 15 dias da volta às aulas em Manaus, capital do Amazonas, 342 professores da rede pública de ensino tiveram teste positivo para o novo coronavírus. Os dados resultaram de exames aplicados em 1.064 profissionais da Educação da cidade, o que equivale a 32,2% de contaminação. Ao todo, a rede pública estadual tem 30 mil educadores.

A situação levou o governador Wilson Lima (PSC) a decretar adiamento por tempo indeterminado da retomada das atividades do ensino fundamental, que deveria ter começado na última segunda-feira (24).

Os resultados foram divulgados durante audiência pública virtual realizada pela Assembleia Legislativa do Amazonas, para discutir o planejamento da volta às aulas presenciais no estado. Apesar dos dados, a diretora da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, Rosemary Pinto, afirmou não haver transmissão ativa nas escolas.

“Como medida de precaução, os profissionais que testaram positivo, os que já passaram pelo período de transmissão, permanecem mais sete dias longe da escola, dentro de um protocolo. Quem ainda está no período de transmissão, permanece mais 14 dias longe”, anunciou.

Os professores, no entanto, discordam e defendem a total suspensão da volta às aulas em Manaus. Segundo a Associação Sindical dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas do Ensino Básico de Manaus (Asprom), cerca de 80 escolas já registraram ao menos um caso positivo de covid-19.


Más condições

“Estava claro que a pandemia não estava sob controle e as contaminações e mortes continuavam acontecendo. Isso nos colocou uma preocupação e cautela para que se esperasse um momento em que a pandemia estivesse controlada para arriscar a vida dos nossos professores e nossos estudantes”, disse o coordenador da Asprom, Lambert Melo. Parte dos professores amazonenses está em greve desde o dia 11 de agosto.

O sindicato também reclama de pouca ventilação nas salas e falta de materiais de higiene, como papel toalha e álcool gel a 70%. Várias escolas foram fechadas temporariamente desde o início das aulas por casos confirmados de covid-19. Além disso, o governo estadual entregou apenas uma máscara de pano para cada estudante. O material também era de baixa qualidade e com tamanhos desproporcionais, em muitos casos cobrindo totalmente o rosto dos estudantes.

Segundo a Secretaria de Estado da Educação e Desporto do Amazonas, a volta às aulas em Manaus foi efetivada apenas no ensino médio, em 123 escolas, com cerca de 83 mil estudantes. No total, a rede estadual tem 106.294 matriculados no ensino médio na capital. Já o ensino fundamental tem cerca de 110 mil estudantes. O governo Lima foi o primeiro do país a retomar as aulas presenciais. As escolas particulares retomaram as atividades em 6 de julho.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here