Dois casos suspeitos de prática de estupros contra vítimas vulneráveis foram registrados esta semana pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) de Ji-Paraná. Elas são adolescentes menores de 15 anos e os acusados dois homens com idade acima dos 50 anos, todos próximos das respectivas famílias. Já se sabe que um deles teria sido encaminhado de forma coercitiva para prestar esclarecimento.

Uma das ocorrências levadas ao conhecimento da autoridade policial foi feita pela mãe de uma das vítimas, após ser informada pela filha (estudante) que o acusado tem 63 anos de idade, bastante conhecido da família e costumeiramente oferecia carona à adolescente quando esta saída da escola para a residência da mesma.

Na data do suposto estupro, o idoso mais uma vez ofereceu carona e, em vez de levá-la para casa, levou-a para a sua residência, onde teria feito carícias sensuais na menor e tentado beijá-la à força. A garota, assustada, teria suplicado para ir ir embora. Um inquérito foi aberto para apurar as responsabilidades. Neste domingo um segundo caso também foi registrado na Deam, envolvendo outra menor de idade. O acusado, aqui, era um membro da própria família.

Violência — De acordo com a estatística da própria Delegacia da Mulher, no ano passado foram registradas 38 ocorrências de suspeitas de crimes de estupros e 42 inquéritos instaurados para as providencias cabíveis. Segundo a delegada Renata Stela, titular da Deam, 38 casos foram solucionados e os envolvidos  já estão respondendo pelos crimes. Em 2016, somando todos os tipos de violência contra a mulher (agressões, lesões, atentados a vida, perseguição, estupros e outros tipos delitos, foram assinaladas mais de duas mil ocorrências de acordo com a Deam.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here