A Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa (Fapero) anunciou o lançamento de editais para 13 diferentes programas voltados à pesquisa, qualificação e capacitação, um investimento de R$ 9,4 milhões.

O anúncio dos editais foi feito pelo governador Confúcio Moura na tarde desta segunda-feira (4) aos representantes de instituições parceiras da Fapero, que neste ano de 2017 alcançará cerca de R$ 40 milhões em investimentos em ciência e pesquisa em cinco anos de existência.

O governador Confúcio Moura disse que desta vez o investimento tem somente recursos próprios, sendo possível com a utilização de fundos disponíveis no âmbito de secretarias “para compartilhar seus recursos com diversas áreas do conhecimento”. Entre os fundos destacam-se o Pro-Leite (Secretaria de Estado da Agricultura); o de Desenvolvimento de Rondônia, Fider, vinculado à Superintendência de Desenvolvimento de Rondônia e o Fundo de Sanidade Animal, Fesa, da Agência de Defesa Agrosilvopastoril (Idaron).

“Vamos ver se o próximo governador vai ser amigo da pesquisa e investir mais”, disse o governador Confúcio, rememorando a criação da Fapero, prevista constitucionalmente há muito tempo, mas cuja implementação ocorreu em sua gestão, a partir do incentivo do ex-ministro Mangabeira Unger.

Dos 13 programas de pesquisa e capacitação previstos, dois editais já foram lançados na sexta-feira (1), um relacionado à implementação do Programa de Apoio a Eventos em Ciência, Tecnologia e Inovação, no valor de R$ 100 mil, e outro para o Programa de Apoio à Participação em Eventos em Ciência, Tecnologia e Inovação, no valor de R$ 36 mil.


O presidente da Fapero, Francisco Elder de Oliveira, calcula que todos os editais programados devem ser lançados para inscrição de pesquisadores e bolsistas até o mês de outubro. “No decorrer desta semana lançaremos mais dois”, declarou durante o anúncio dos editais, realizado no auditório Jerônimo Santana, Palácio Rio Madeira.

“Estou muito orgulhoso desse dia. Temos aporte somente da Fonte 100 (tesouro estadual), e nunca houve um aporte dessa ordem na Fapero, a não ser quando contamos com recursos da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior)”, disse Francisco Elder. “Rondônia está na contramão da crise nacional”, complementou o diretor de Tecnologia e Inovação Leandro Soares Moreira.

Um dos mais importantes programas previstos, essencial para a cadeia produtiva do pescado, é o Programa de Apoio à Pesquisa em Piscicultura, com investimento de R$ 2,5 mi, no qual serão utilizados de saldo disponível no Fider (Fundo de Desenvolvimento de Rondônia). Este edital ainda será lançado.

Também com impacto direto na produção e economia do estado é a implementação do Programa de Apoio à Pesquisa em Inovação e Tecnologia em Sanidade Animal, cujo investimento é de R$ 2 milhões.

Francisco Elder disse que a vigência dos programas varia de 12 a 24 meses, com exceção da implementação do Programa de Apoio à Pesquisa em Redes no âmbito do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), no valor de R$ 1,8 mi.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here