Fundação Cultural de Ji-Paraná abre 680 vagas para seus cursos

AS MUITAS OPÇÕES SÃO PARA BALÉ CLÁSSICO, CURSOS MUSICAIS E DE ARTESANATO

0
362

Imagem 2A partir da próxima semana será inaugurado o período de matrículas para novos alunos nas áreas de música, dança e artesanato da Fundação Cultural de Ji-Paraná.  As inscrições terão início no dia 30 de janeiro e seguem até que o número de vagas seja preenchido. São 200 ofertas para o curso de balé clássico,  180 para vários cursos de música (violão, sopro, viola, piano, canto, bateria) e 300 vagas para as aulas de artesanato da Casa do Artesão. As aulas terão inicio no dia 13 de fevereiro.

Os interessados devem fazer a inscrição das 8 horas às 12 horas, nos seguintes locais: Teatro Dominguinhos, Avenida Marechal Rondon, nº 295; Unidade de Artes, Avenida Brasil com T-11; e na Casa do Artesão, Avenida Menezes Filho, nº 2141, Bairro Jardim dos Migrantes. São condições para a inscrição: ter idade acima de seis anos, apresentar foto 3×4 e cópias dos documentos pessoais, comprovante de endereço e da declaração escolar (para os menores de idade).  

Em 2017, a Fundação Cultural atenderá duas mil pessoas em vários cursos e oficinas. O trabalho se tornou referência entre os Estados da Região Norte do Brasil, por conta do número de alunos atendidos gratuitamente. A presidente da Fundação Cultural, Keila Barbosa, explicou que o reconhecimento foi dado durante um importante encontro de cultura organizado pelas universidades públicas da Região Norte realizado em 2016. “É um orgulho saber que somos exemplo para outros Estados. Esse avanço não é bom apenas para a fomentação da cultura na Região Central de Rondônia, mas, especialmente, para os alunos atendidos pela prefeitura de Ji-Paraná, porque terão a certeza de terem passado por uma formação de excelência”, disse a presidente.

Além dos alunos aprenderem uma profissão a formação artística oferecida pela Fundação Cultural, tem outros benefícios sociais e individuais importantes. “O processo de formação na vida das pessoas tem um caráter de saúde preventiva. Nós recebemos vários casos de pessoas que estavam com depressão e fizeram cursos de artesanato, indicados por psicólogos. No balé, tem crianças com sobrepeso que, por indicação médica, conseguiram perder peso sem precisar de remédio. Outro exemplo, são crianças imperativas, com dificuldade de concentração e disciplina que aprenderam a tocar um instrumento e tiveram melhoras”, complementou Keila Barbosa.

Colaboração da Ascom/Prefeitura/Fotos J. Batista




CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here