Na operação ‘Garantia da Lei e da Ordem’ nas Unidades Prisionais Urso Panda e Milton Soares Carvalho, realizada durante nesta quarta-feira (3), em Porto Velho, as Forças Armadas apreenderam oito tabletes de drogas, 34 isqueiros, 405 objetos cortantes e mais de 494 perfurantes – que poderiam ser usados como arma dentro das unidades.

O COMANDANTE DA 17ª BRIGADA DE INFANTARIA E SELVA, GENERAL JOSÉ EDUARDO LEAL DE OLIVEIRA, DURANTE COLETIVA À IMPRENSA

Outras 133 porções de drogas, 47 pacotes de fumo, três cachimbos improvisados para o consumo de entorpecentes, sete aparelhos celulares, nove carregadores de celular e 12 chips de celular também foram encontrados nas duas penitenciárias estaduais localizadas no complexo prisional da capital.

Em coletiva à imprensa durante esta tarde, o comandante da 17ª Brigada de Infantaria e Selva, general José Eduardo Leal de Oliveira, ressaltou que a operação de varredura foi concluída sem nenhuma intercorrência, e com muito menos apreensões em relação à última ação que aconteceu há cerca de dois meses, no Presídio Urso Branco.

Quanto ao critério de escolha das unidades, o general explicou que “quem faz o pedido ao governo federal para que haja a intervenção das Forças Armadas nas unidades prisionais é o governo do estado, já indicando quais unidades precisam receber a operação”.

Um decreto federal de 17 de janeiro deste ano autorizou o emprego das Forças Armadas para a garantia da lei e da ordem nas dependências carcerárias do país. Nesta, 81 viaturas foram utilizadas, 17 detectores de minas, quatro detectores de equipamentos eletrônicos, oito cães farejadores, e contou com a participação direta de 371 homens das Forças Armadas, além de 155 integrantes dos órgãos de Segurança Pública do Estado.


Greve — Sobre o anúncio de greve por tempo indeterminado com início no próximo dia 11, feito nesta manhã pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado de Rondônia (Singeperon), o secretário de Justiça (Sejus) Marcos Rocha garante que o Governo está se apoiando na decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que proíbe a greve de servidores que atuam diretamente na área de segurança pública. “Se resolverem parar, o movimento será ilegal, nós nem temos o que discutir a respeito e tomar todas as medidas cabíveis com autoridade”, declarou o secretário.

Veja a seguir o vídeo da operação:

 

 



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here