A queda na doação de sangue que historicamente se verifica nos finais de ano de  2020 tem um agravante a mais desta vez: a pandemia do novo coronavírus, que tem afastado as pessoas dos hemocentros. Porém, a demanda pelas transfusões continuam em todo o estado.

Para tentar reverter essa situação, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron) convoca a população a comparecer em uma das unidades e doar para que vidas continuem sendo salvas. A maior necessidade da Fhemeron é dos tipos sanguíneos “O” positivo e negativo e “A” positivo.

Cada pessoa pode doar até 450 mililitros de sangue, um volume que pode salvar a vida de até quatro pessoas. A retirada não prejudica em nada o doador, pois o organismo repõe o que foi doado e alcança os níveis normais em até 72 horas. As mulheres podem doar no intervalo de 90 dias e os homens, 60 dias.

‘‘Desde março, essa situação de pandemia tem afetado drasticamente os estoques de sangue não só de Rondônia, mas do Brasil e do mundo, pois o mundo inteiro padece com falta de doadores, e ao mesmo tempo as pessoas continuam precisando de sangue’’, afirma com a gerente de captação da Fhemeron, Maria Luíza Pereira.

Para Maria Luíza, a conta quase não fecha porque sempre tem mais pessoas precisando do que doando. Para manter o equilíbrio, Rondônia conta com a Hemorrede, a Rede estadual de Hemocentros, onde as unidades se ajudam para suprir a necessidade de bolsas de sangue. Desta forma, quando o hemocentro de Porto Velho precisa tem recebido de outras unidades regionais, assim como também encaminha para outros municípios quando os mesmos necessitam.


CUIDADOS SANITÁRIOS — A Fhemeron adotou procedimentos de segurança sanitária para que as doações continuem sendo feitas e vidas sejam salvas durante a pandemia. Todo o cuidado está sendo mantido, como por exemplo: os doadores devem usar máscaras, as unidades são higienizadas, há o distanciamento social e os materiais são esterilizados. “Ou seja, todos os protocolos de saúde são obedecidos. A doação é segura’’, garante a gerente.

A população precisa estar consciente que o ato é mais que doar sangue, é dar esperança para aqueles que necessitem de transfusões para continuar vivendo, a exemplo de crianças com anemia falciforme, jovens, idosos, amigos e desconhecidos que dependem da solidariedade dos rondonienses para que os procedimentos médicos sejam viabilizados.

EM JI-PARANÁ O HEMOCENTRO funciona das 7h30 às 13h30, na avenida Clóvis Arraes, 1.440 (antiga Av. Vilagran Cabrita), no centro do Primeiro Distrito. Mais informações  podem ser obtidas por meio do telefone 3422-6762.

Requisitos básicos necessários para doação de sangue:

– Estar em boas condições de saúde;

– Ter entre 18 e 69 anos de idade;

– Jovens entre 16 e 17 anos poderão doar acompanhados dos pais ou responsáveis legais;

– Ter peso acima de 50 kg;

– Estar alimentado, evitando alimentação gordurosa (aguardar três horas após o almoço);

– Homem pode doar até quatro vezes ao ano, em intervalos de 60 dias (dois meses);

– Mulher pode doar até três vezes ao ano, em intervalos de 90 dias (três meses);

– Ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here