OS MEDICAMENTOS MAIS PROCURADOS NAS FARMÁCIAS MUNICIPAIS SÃO PARA PRESSÃO ALTA

Em 2017 cerca de 150 mil cidadãos receberam medicamentos gratuitos no sistema de saúde municipal. A informação foi prestada pela Central de Abastecimento Farmacêutico, órgão da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

Sempre por meio de solicitação médica, os remédios chegaram às mãos da população por meio da Farmácia Básica e nas farmácias das unidades do BNH, BNH Mulher, L1 Maringá, Primavera e nos distritos de Nova Londrina e Colina.

De acordo com a diretora da Farmácia Básica, Alekssandra Azevedo, os números demonstram que o município tem cumprido as metas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. A Prefeitura distribui remédios de laboratórios considerados referência nacional, previstos na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME).

“É um desafio atender a todas as prescrições dos médicos que atendem na rede pública de saúde de Ji-Paraná, mas nós temos remédios para todas as doenças. Enviamos uma lista dos preconizados pela União, as Unidades Básicas de Saúde, para que os médicos facilitem o acesso do paciente ao tratamento medicamentoso”, explicou Alekssandra.

Os medicamentos mais procurados nas farmácias municipais são para pressão alta. O balanço feito até agora identificou 1,5 milhão de comprimidos de Losartana 50 mg, distribuídos em 2017. “É um número alto. Por isso convidamos a população a cuidar mais da saúde, da alimentação para que não venha a ter uma pressão arterial alterada”, ressaltou a diretora.

Na sequência dos mais procurados estão os de osteoporose e saúde mental. “O número de pacientes atendidos com medicamentos para depressão aumentou em 30%, se comparado com o ano passado. Sem contar aqueles de alto custo, que são distribuídos pelo Governo Estadual. Quanto menos medicamentos distribuirmos, melhor. Afinal, não queremos que a população fique doente e nos procure de forma contínua. Tomar remédio o resto da vida não é saudável, mas se precisar estaremos aqui para atender”, salientou a Alekssandra Azevedo.

Ainda não há comentários, seja o primeiro.