Ao tomar conhecimento de áudios atribuídos ao delegado Júlio Cesar, um dos coordenadores da Operação Pau Oco, o ex-governador Daniel Pereira impetrou pedido no Ministério Público de Rondônia pedindo o afastamento das funções dos envolvidos da DRACO (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas/Núcleo Cacoal), busca e apreensão de celulares dos membros da Polícia Civil envolvidos no complô para acusar autoridades sem provas e que os aparelhos sejam periciados pela Polícia Federal e a identificação do autor dos áudios e apuração das condutas relatadas.

Desde a semana passada, o programa radiofônico liderado pelos jornalistas Alessandro Lubiana e Fábio Camilo tem divulgado áudios de diálogos entre delegados sobre a Operação Pau Oco e alguns personagens da política local. Em um desses áudios, o interlocutor fala do temor dos policiais do ex-governador ganhar uma ação contra o Estado e o Estado entrar com regressiva contra o grupo, resultando em prejuízo financeiro para os agentes. “…

Concluindo o cenário pessimista o Daniel vai botar para cima, vai entrar com uma ação contra o Estado pelos danos causados a ele, vai esculhambar a gente na mídia até entorrar nossa credibilidade vai pro lixo, vai pro ralo, pode acabar, esquece Draco”…”, diz parte do trecho degravado.

Nesta segunda-feira, novos áudios foram apresentados no programa e dessa vez o delegado envolve o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Walter Waltemberg. Nos trechos, a conversa atribuída a Júlio Cesar cita uma operação para livrar de ação eleitoral um ex-deputado estadual. Lubiana e Fábio Camilo prontamente dispuseram material a disposição do desembargador por meio oficial.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.