RAPINOE, DOS ESTADOS UNIDOS, COMEMORA O GOL DE PÊNALTI QUE ABRIU O PLACAR NA FINAL DA COPA DO MUNDO FEMININA --- Imagem: Franck Fife/AFP

O título da Copa do Mundo feminina segue nos Estados Unidos. Campeões da última edição, os Estados Unidos enfrentaram a Holanda na final do Mundial hoje (7), no Stade de Lyon, e com segundo tempo arrasador, venceram por 2 a 0, com gols de Rapinoe e Lavelle, conquistando novamente o título da competição.

A vitória garantiu aos Estados Unidos seu quarto título da Copa do Mundo feminina em oito edições disputadas. As norte-americanas também ficaram com a medalha de ouro 1991, 1999 e 2015. Com 100% na campanha atual – sete vitórias em sete jogos -, as norte-americanas se isolaram ainda mais como a seleção com mais títulos no torneio.

No segundo tempo, os Estados Unidos mostraram sua força ofensiva. Após consulta ao VAR e pênalti marcado, Rapinoe abriu o placar e mudou o panorama da partida. Atrás no placar, a Holanda precisou lançar-se ao ataque e deixou espaços entre o meio de campo e a defesa, e acabou pagando caro.

Em veloz contra-ataque, os EUA ampliaram com Lavelle. Com tempo no relógio, as holandesas ainda lutaram, mas encontraram um rival bem postado atrás e com praticamente todo o time atrás da linha da bola.

Ninguém tem mais títulos que as norte-americanas Pela quinta vez na final da Copa do Mundo, em oito edições realizadas, os Estados Unidos conquistaram seu quarto título, ampliando seu recorde no futebol feminino. Com títulos em 1991, 1999 e 2015, as norte-americanas perderam apenas uma final, em 2011, para o Japão, nos pênaltis.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.