Com a chegada do mês das crianças a procura por brinquedos e produtos voltados aos pequenos aumenta. E para garantir a segurança e proteção, tanto do consumidor quanto dos empresários que adquirem esses produtos, o Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Rondônia (Ipem/RO) deflagrou no dia 31 de setembro a operação ‘Dia das Crianças’, para fiscalizar comércios e lojas que comercializam produtos infantis.

O objetivo da operação segundo o especialista em metrologia do Ipem, Igor Argento é reduzir a quantidade de produtos piratas que oferecem riscos ao consumidor.

“ Em anos anteriores apreendemos mais de quatro mil produtos irregulares que estavam sendo comercializados, sem certificação do Inmetro”, destacou Igor Argento, especialista em metrologia do Ipem.

O Ipem Rondônia representa o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). As operações acontecem por meio de denúncias da população, ou seguindo um cronograma. A operação ‘Dia das Crianças’ realizada durante os dias 31 a 04 de outubro, levou equipes para as ruas da capital. O trabalho consiste em verificar uma série de produtos, buscando certificar a qualidade do mesmo.

Segundo o especialista, várias denúncias acerca de produtos falsificados, sem certificações e de qualidade inferior chegam à ouvidoria do Ipem, por meio de ligações no número: 3216-5943 ou pelo site: ipem.ro.gov.br


O trabalho das equipes deixou o mototaxista Rui Vacir admirado. Ele que é pai de uma menina de cinco anos de idade, se diz tranquilizado em saber que produtos irregulares estão saindo de circulação. “O Ipem e o governo do estado estão de parabéns. Eu mesmo já vi crianças com brinquedos sem nenhuma orientação e especificação de idade. E se o pai não souber dos direitos, pode colocar a vida do filho em risco”, ressaltou.

O Ipem é um órgão que tem poder de polícia administrativa e pode por lei fiscalizar e apreender produtos que estejam irregulares. As equipes atuam com base no diálogo e de forma pacífica realizam as fiscalizações sem causar danos ao consumidor ou ao proprietário do local. Se for identificada a presença de produtos irregulares, nesse caso sem especificações de idade, composição do produto, e selo do Inmetro, o produto é recolhido e destruído.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.