Dez jovens que podem reforçar a seleção brasileira em Tóquio-2020

0
17

seleção brasileira pré-olímpica passou por dificuldades, mas conseguiu uma das duas vagas para a América do Sul do torneio de futebol masculino dos Jogos de Tóquio-2020. A vida do técnico André Jardine poderia ter sido mais tranquila se ele tivesse contado com todos os jogadores abaixo do limite de idade estabelecido pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Alguns clubes recusaram-se a liberar seus atletas pelo fato da competição não fazer parte do calendário da Fifa.

PLACAR separou uma lista de atletas de até 23 anos e que, portanto, podem participar da próxima Olímpiada (se forem liberados por seus clubes, claro). A geração conta com muitos jogadores que já são destaque no futebol mundial e até já foram titulares da seleção principal do técnico Tite. Esse é outro fator a ser considerado na convocação para Tóquio: entre junho e julho deste ano acontece mais uma edição da Copa América.

Ou seja, não basta a boa vontade dos clubes. Dificilmente quem for convocado para o torneio sul-americano disputará também os Jogos de Tóquio. Em 2016, o atacante Neymar preferiu defender o Brasil na Olimpíada do Rio de Janeiro do que participar da Copa América Centenário.

Confira a lista dos dez jogadores que podem reforçar a seleção brasileira para a disputa da Tóquio-2020:

Gabriel Jesus


Gabriel Jesus comemora após marcar gol nas penalidades máximas durante partida contra o Paraguai – 27/06/2019 Henry Romero/Reuters

O atacante do Manchester City é um dos jogadores com idade olímpica que já estão estabelecidos na seleção principal. O camisa 9 do Brasil na última Copa do Mundo nasceu em 1997 e faz 23 anos em abril, liberado, portanto, para atuar em Tóquio se Guardiola deixar.

Richarlison

Richarlison, jogador da Seleção Brasileira – 09/06/2019 Buda Mendes/Getty Images

O “Pombo” ganhou espaço na equipe de Tite em 2018, quando fez três gols nos poucos minutos que atuou em seis partidas. A boa fase fez com que o atacante tivesse mais chances e ele fez parte da seleção que conquistou a Copa América ano passado. O jogador completa 23 anos em maio e pode reforçar o time olímpico.

Eder Militão

Eder Militão com a camisa da seleção brasileira no amistoso contra a Coreia do Sul, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos – 19/11/2019 Eurasia Sport Images/Getty Images

A seleção principal também tem um zagueiro com idade olímpica. Contratado por 50 milhões de euros por Zinedine Zidane para o Real Madrid, o jogador formado nas categorias de base do São Paulo conquistou seu espaço e passou a ganhar chances com Tite. É difícil imaginar que os Galácticos liberem Militão para Tóquio, mas poderia evitar que o Brasil gastasse um chamado de jogador com mais de 23 anos em um zagueiro.

Gabriel Martinelli

O atacante brasileiro Gabriel Martinelli, do Arsenal, aproveitou o escorregão de Kanté, do Chelsea
O atacante brasileiro Gabriel Martinelli, do Arsenal, aproveitou o escorregão de Kanté, do Chelsea, e marcou um bonito gol no empate em 2 a 2 no clássico londrino Stuart MacFarlane/Arsenal//Getty Images

O fenômeno do Arsenal podia ter feito parte até mesmo do Pré-Olímpico. O técnico André Jardine chegou a convocá-lo, mas o clube inglês não liberou o atleta. Enquanto a seleção lutava pela vaga, marcou um golaço contra o Chelsea (foto acima) e se tornou o primeiro jogador com menos de 20 anos a fazer 10 gols com a camisa da equipe londrina desde Anelka em 1999. É justamente o destaque que pode afastá-lo de Tóquio.

Rodrygo

Rodrygo Real Madrid Campeonato Espanhol
Entrando no lugar de Vinícius Jr., o ex-santista Rodrygo marcou o seu na vitória do Real Madrid por 2 a 0 sobre o Osasuna no Campeonato Espanhol Oscar del Pozo/AFP

O atacante formado no Santos têm idade para jogar as próximas duas Olimpíadas. Por não ser titular do Real Madrid, havia a expectativa que pudesse participar até do Pré-Olímpico, algo que acabou não se concretizando. A vontade de participar da competição em Tóquio e o fato de não ser indispensável no clube podem jogar à favor para uma liberação no meio do ano.

Vinicius Júnior

Vinícius Júnior CBF/Divulgação

O Real Madrid já impediu que o ex-jogador do Flamengo participasse de torneio da base para preservar o atleta. Quando chegou à Espanha em 2018, impressionou pelos dribles e chegou a ser intocável. Acabou sofrendo uma lesão na Liga dos Campeões e ainda não se firmou desde a sua volta. O que pode ser bom para a seleção, que pode ganhar um reforço de peso para a Olimpíada.

Lucas Paquetá

Lucas Paquetá, meia da Seleção Brasileira Quality Sport Images/Getty Images

O Brasil pode ter o camisa 10 da seleção principal em Tóquio. Não estamos falando de Neymar – apesar do jogador do Paris Saint-Germain ter manifestado a vontade de participar dos Jogos mais uma vez. O meia formado no Flamengo utilizou o número eternizado por Pelé em amistosos no ano passado e é mais um com idade olímpica. Em má fase e fora do time titular do Milan, poderia acabar liberado.

David Neres

O atacante David Neres da seleção brasileira durante partida contra a Bolívia no Morumbi Heitor Feitosa/VEJA

O atacante ex-São Paulo foi um dos destaques do Ajax que surpreendeu o mundo ao chegar nas semifinais da última Liga dos Campeões. Os bons jogos o colocaram como titular da seleção no início da Copa América passada, mas ele não conseguiu retribuir. Neres recusou propostas de mercados maiores, permaneceu na Holanda, mas não repetiu a boa fase e perdeu o status de intocável. Resta saber se o clube têm interesse na “vitrine” de Tóquio-2020.

Gerson

Gerson disputa a bola com Naby Keita na final do Mundial de Clubes entre Flamengo e Liverpool – 21/12/2019 Marcio Machado/Eurasia Sport Images/Getty Images

O único representante da lista que joga no Brasil chegou a ser consultado pela CBF para participar do Pré-Olímpico. Sem férias há mais de um ano, porque se transferiu da Itália no meio do ano para o Flamengo, o meia decidiu repousar após a disputa do Mundial de Clubes e não aceitou o chamado. A recusa parece não ter caído bem entre os dirigentes da entidade, mas deixar Gerson de fora de Tóquio-2020 por ego só serviria para entrar para lista de erros da CBF.

Emerson

O lateral-direito brasileiro Emerson, do Betis Quality Sport Images/Getty Images

Ele era nome certo para disputar o Pré-Olímpico, já que fez parte de todo o processo de formação da equipe que conseguiu a vaga para Tóquio, mas o Betis acabou não o liberando. Não é por menos: emprestado pelo Barcelona até o meio do ano que vem, o lateral-direito já marcou três gols e deu cinco assistências nos seus primeiros 19 jogos. E isso como um defensor. Emerson Royal, como é conhecido, assistiu todas as partidas do time que conquistou a classificação nas madrugadas da Espanha.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here