O médium João de Deus foi preso, por volta das 16h30 (horário de Brasília) deste domingo, nas proximidades de Abadiânia (GO). O líder espiritual, de 76 anos, é acusado por 335 mulheres de abuso sexual. Estas denúncias partiram de 12 estados, do Distrito Federal e também de seis países.

O médium já era.considerado foragido pela Polícia e negociou, por meio dos seus advogados, sua rendição e prisão preventiva com as autoridades, que garantiram que ele ficará preso em um cela isolada.

João de Deus foi levado para a Delegacia Estadual de Investigação Criminal (DEIC) para ser submetido ainda hoje a exame de corpo de delito. Depois será levado ao Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, onde passará a noite. A partir de amanhã, segunda-feira (17) ele será submetido a um interrogatório que, segundo um delegado da Polícia Civil, será longo e detalhado.

“Os promotores e promotoras informam que os trabalhos da Força-Tarefa seguem normalmente nos próximos dias, no intuito de continuar realizando as oitivas das vítimas e produzir as denúncias a serem oferecidas”, completou o Ministério Público.

JOÃO DE DEUS JÁ NO CARRO DA POLÍCIA SENDO CONDUZIDO PARA A DELEGACIA

No último dia 12, João de Deus retirou 35 milhões de reais de contas e aplicações financeiras após as primeiras denúncias de abuso sexual, segundo informações do Ministério Público e da Polícia Civil de Goiás. A movimentação financeira suspeita acelerou o pedido de prisão preventiva, determinado pela Justiça na tarde de sexta-feira


O CRIMINALISTA  Alberto Toron, que representa João de Deus e foi o responsável pelas negociações da entrega, afirmou que a defesa apresentará um pedido de habeas corpus para suspender a prisão preventiva. Segundo o advogado, não há contemporaneidade entre as denúncias contra o médium e sua necessidade de prisão. “Os fatos são antigos e não aconteceu nada de novo que justificasse a prisão”, declarou.

Desde a revelação do caso, quando as primeiras acusações foram reveladas pelo Jornal Nacional e pelo Conversa com Bial, ambos da TV Globo, a promotoria de Abadiânia, em Goiás, recebeu 335 denúncias de abuso sexual contra João de Deus.

As acusações vieram dos Estados de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Pará, Santa Catarina, Piauí e Maranhão, e pelo menos seis países – Alemanha, Austrália, Bélgica, Bolívia, Estados Unidos e Suíça.

Grande parte dos crimes de abuso teriam ocorrido após as sessões espirituais no Centro Dom Inácio Loyola, numa sala reservada ocupada pelo médium para atendimentos individuais. Segundo a Promotoria, João de Deus oferecia “atendimentos particulares” a mulheres após os tratamentos, momento em que os abusos seriam cometidos..As autoridades alegam também que quatro funcionários são suspeitos de participação nos supostos crimes.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here