Parafuncionais são todas e quaisquer ações que adotamos e que não são funções necessárias e específicas de nossa humanidade. Entre os muitos hábitos parafuncionais do dia a dia está, por exemplo, o ato de mastigar plástico. Seja uma tampinha de caneta, de refrigerante, ou os famosos canudinhos, muitos de nós, vez por outra, somos levados a desenvolver este hábito

“Por ser um ato que fazemos sem nos darmos conta, podemos empregar força excessiva na mordida e assim ocasionar micro-fissuras nos dentes o que pode, a longo prazo, prejudicar a estética dentária e também a saúde bucal”, explicou o dentista, Dr. Ozeias Miranda, gestor da UNICEM Cursos de Pós-Graduação.

RISCOS — Ainda de acordo com o dentista, o ato de morder plástico pode ocasionar disfunção temporomandibular, que é quando há uma desconfiguração nas articulações temporomandibulares. Uma vez que as articulações que unem a mandíbula ao crânio são afetadas, alguns de nossos movimentos importantes como mastigar, bocejar ou mesmo falar também podem ficar comprometidos.

“Uma vez que essas articulações são prejudicadas, podem ocorrer problemas como a produção de estalos aos abrirmos demais a boca, o travamento da mandíbula, inchaço no rosto, na boca e até a dificuldade para mastigar”, frisou o Dr. Ozeias.

“Além de morder plásticos, muitas pessoas têm o hábito também de morder objetos de metais, tais como bombas de tereré e chimarrão. Outra pessoas, ainda, têm o hábito de ao se ver nervosas, pressionar os dentes uns nos outros e isso é bastante prejudicial, pois faz com que os dentes se desgastem ou até mesmo se quebrem”, pontuou o dentista.


MUDANÇA DE HÁBITO O dentista frisa que é importante que as pessoas estejam atentas e que procurem meios de evitar essa prática. “Elas podem recorrer aos amigos e aos familiares para que as ajudem no policiamento. Evitar essa pratica é não incorrer em gasto desnecessário no futuro na tentativa de reverter a situação e também evitar sofrimento”, finalizou o Dr. Ozeias.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.