Copa de Futebol Feminino começa hoje, mas chance da Seleção ser campeã é pequena

Time escolhido pelo treinador Vadão não vive boa fase, está apenas em 10º lugar no ranking da FIFA e, portanto, não aparece entre favoritos ao título

0
82

Começa daqui a pouco, às 16 horas (horário de Brasília), com o jogo entre a anfitriã França e a Coreia do Sul, a oitava edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino, com possibilidades de se tornar uma edição histórica, com maior respeito e visibilidade.

A final ocorrerá no dia 7 de julho, às 17h, no Estádio de Lyon. O Brasil ocupa a 10ª posição no ranking da Fifa.

A Seleção Brasileira tem seu primeiro desafio dois dias depois, no domingo, 9 de junho, contra a Jamaica, na cidade de Grenoble. Depois, o Brasil ainda encara Austrália e Itália, as outras integrantes do grupo C.

BRASILEIRA MARTA SERÁ UMA DAS ESTRELAS DO TORNEIO (Fifa/Divulgação)

Os canais de televisão darão um espaço nunca visto em outras edições do Mundial. A TV Globo e a Bandeirantes vão exibir na TV aberta os jogos da seleção brasileira, enquanto o canal fechado SporTV mostrará todos os jogos da competição. Na edição passada, em 2015, apenas a TV Brasil e o SporTV transmitiram as partidas.

A Fifa também decidiu valorizar e aumentar consideravelmente a premiação para as seleções participantes, mas as cifras ainda são bem distantes quando comparadas as duas categorias.


A Fifa anunciou um aumento de 100% no valor da premiação para as 24 seleções participantes da Copa do Mundo. Passou de 15 milhões de dólares (cerca de 58,8 milhões de reais) para 30 milhões de dólares (117,7 milhões de reais). 

A Copa do Mundo Feminina terá seis patrocinadores exclusivos do torneio: Orange, Arkema, EDF, Proman, Crédit Agricole e a SNCF. Elas se juntam às empresas que já patrocinam a Fifa em todos os torneios da entidade, casos da Adidas, Qatar Airways, Visa, Wanda, Hyundai-Kia e Coca-Cola.

As grandes empresas têm olhado com mais atenção para o futebol feminino. A Nike, por exemplo, acertou patrocínio para todas as competições entre mulheres organizadas pela Uefa e a Adidas informou que os premiados do Mundial feminino receberão o mesmo valor que os da Copa masculina.

A FIFA INICIOU NESTE ANO uma campanha com o objetivo de desenvolver o crescimento do futebol feminino em todo o mundo. Há uma ideia de criar um grande campeonato mundial de clubes, mas assim como acontece na versão masculina, ainda existe muita resistência por parte de algumas federações.

A confiança em ver o futebol feminino ganhando mais espaço no Brasil se contrasta com a má fase da seleção brasileira comandada por Vadão. O time perdeu nove dos últimos dez jogos que disputou – Estados Unidos (duas vezes), Canadá, Inglaterra (duas vezes), França, Japão, Espanha e Escócia. A última vitória foi diante do Canadá, 1 a 0, no dia 4 de setembro do ano passado.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here