Estudantes da Fundação Universidade Federal de Rondônia (Unir) fecharam no fim da manhã de hoje, quarta-feira (15) a Avenida Sete de Setembro, principal via de Porto Velho, para protestar contra o bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo Ministério da Educação (MEC).

Segundo o Diretório Central dos Estudantes (DCE), cerca de 200 pessoas estiveram no manifesto pacífico. A Polícia Militar (PM) acompanha o protesto, mas não divulgou o número de manifestantes.

A concentração dos universitários começou na Praça do Baú, centro de Porto Velho, e logo depois os estudantes seguiram até a Avenida Sete de Setembro para pedir o fim do bloqueio de verbas à Unir. Na sequência eles fecharam a via, no cruzamento com a Avenida Rogério Weber.


O grupo também usou cartazes para pedir o fim da reforma da previdência, que tramita no Congresso Nacional em Brasília (DF).

Segundo os alunos, a situação da Unir é “caótica” e, com esse bloqueio de verbas, a universidade no estado não deve funcionar a partir de julho, pois ficaria sem dinheiro para pagar contas de energia, telefone e serviços terceirizados.

CACOAL — Alunos, professores e entidades de ensino também protestaram nas ruas de Cacoal  hoje pela manhã contra o bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo Ministério da Educação (MEC). Segundo os organizadores, 1 mil pessoas participaram do ato pacífico. A Polícia Militar (PM) não acompanhou o protesto na cidade.

A concentração inicial começou por volta de 9h (hora local) na praça municipal Governador Jorge Teixeira, na região central de Cacoal. Na sequência, os manifestantes percorreram ruas com cartazes e pediram o fim do bloqueio de recursos federais à educação.

As escolas municipais e estaduais não tiveram aulas nesta quarta-feira, pois os professores aderiram o movimento em apoio ao Instituto Federal de Rondônia (Ifro) e da Fundação Universidade Federal de Rondônia (Unir).

ARIQUEMES —  Nesta cidade professores e estudantes da rede estadual de educação também fizeram caminhada de protesto pelas ruas. O ato também foi contra o bloqueio no orçamento dos institutos, anunciado pelo Ministério da Educação (MEC), e também contra a Reforma da Previdência.

Os servidores e alunos se reuniram por volta das 8h (local), na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do estado (Sintero), e logo depois fizeram um percurso de aproximadamente 2,1 quilômetros, pelas Avenidas Tancredo Neves e Jamari, até a Praça da Vitória.

Segundo os organizadores, cerca de 300 pessoas se mobilizaram e participaram do protesto. A Polícia Militar (PM) não acompanhou a passeata, que seguiu de forma pacífica.

AS IMAGENS DA MANIFESTAÇÃO EM PORTO VELHO:



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.