Combate ao Aedes Aegypti tem ações reforçadas em Ji-Paraná

0
42


Mosquito-da-dengueA comissão que trabalha nas ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti realizará nos próximos dias um trabalho de limpeza nos bairros de Ji-Paraná. A força tarefa é formada por profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia) e Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp)
(foto abaixo) Conforme o planejamento do grupo, o mutirão de limpeza terá inicio já no mês de fevereiro pelo bairro Jardim Presidencial, primeiro distrito da cidade. “A região é uma das que mais registrou casos de dengue nos últimos três meses. A intenção é expandir o trabalho, como foi feito no ano passado, para todos os bairros de Ji-Paraná”, explicou o secretário municipal de Saúde, Renato Fuverk. 

O trabalho vai contar com o apoio dasReunião Dengue (1) máquinas e funcionários da Semosp para retirar os entulhos e materiais que possam acumular água.
Segundo o diretor de obras, Bráulio Barbosa, a comunidade deverá colaborar com a limpeza de seus quintais. 
“A população tem que nos ajudar e se ajudar também. Peço aos moradores que façam uma faxina no quintal e coloque o material na frente da casa para que a equipe recolha”, frisou o diretor de obras.

O trabalho de prevenção é essencial no combate ao Aedes Aegypt. E o resultado refletiu-se nos números de casos registrados pela Vigilância Epidemiológica de Ji-Paraná. O responsável pelo Departamento de Vigilância em Saúde e Divisão de Epidemiologia, Paulo Roberto Soares, explicou que dos 44 casos registrados nos últimos três meses pela Secretaria Municipal de Saúde, apenas oito foram diagnosticado como dengue. “Os números que nós temos agora são baixos em virtude do trabalho positivo realizado nos últimos quatro anos. Fizemos mutirões de limpeza nos bairros e orientamos a comunidade sobre a importância de que todos precisam colaborar”, disse Paulo Roberto.

OUTRO TRABALHO importante que está em fase de conclusão é o levantamento de Índice Rápido (Lira), feito pela Divisão de Controle de Endemias. É um método do Ministério da Saúde para saber como está a infestação do mosquito nos municípios. Os agentes visitam trinta por cento das casas de cada quarteirão e verificam se existe água parada. Esse levantamento, que começou no dia 23 de janeiro, deve ficar pronto dia três de fevereiro. “Depois da realização do LIRA, a gente vai saber quais os bairros que estão com o índice mais elevados do mosquito. Aí vamos dar continuidade na aplicação do inseticida de acordo com a realidade de cada região”, finalizou Oséias Duarte, agente técnico do Controle de Endemias.

Com a colaboração da Ascom/Prefeitura


 

 



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.