COLUNA PONTO & VÍRGULA – O verbo ‘oportunizar’, afinal, existe ou não?

0
15

Desde que cheguei em Rondônia, em 2008, tenho ouvido com frequência o verbo “oportunizar”, termo que, confesso, não conhecia até então. A cada pouco me deparo com alguém adotando-o no dia a dia, nas mais diversas ocasiões. Uma busca rápida nos dicionários Dicio (antigo Aurélio), Michaelis, Aulete Digital e Priberam atesta que ele de fato existe.

 

E existe como sendo um verbo ora transitivo direto, ora indireto ou seja, ele pode ou não exigir preposição. Se eu digo, por exemplo: É preciso oportunizar vagas de trabalho efetivo”, ele é direto. Mas, se digo “O projeto é oportunizar aos funcionários um método eficaz de trabalho”, então ele é direto e indireto. Olha a preposição ‘a’ em contração com o artigo ‘o’ diante da palavra ‘funcionários’. O mesmo ocorre na oração: “O governo deve oportunizar trabalho a todos os cidadãos”.

O curioso é que o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, o famoso Volpi, aquele que de fato oficializa as palavras do nosso idioma, não inclui o termo.

Afinal, a palavra existe ou não? Olha, em uma das questões de português do Enem, no ano passado, lá estava ela, não entre as respostas, mas na própria pergunta. A Imprensa também ajuda nisso porque vem adotando “oportunizar” há muito tempo em seus textos.


Mas, enfim, vamos à resposta: sim, este verbo existe, sem dúvida alguma. Daí a recomendar seu uso vai alguma distância. Trata-se de uma palavra ainda em formação recente, meio bárbara, desprovida do chamado lastro culto e, por isso, ainda foi incorporada pela Academia Brasileira de Letras, enquanto todos os demais dicionários já a incorporaram.

Por isso, caros amigos e ouvintes, para sermos mais elegantes devemos evitar o verbo “oportunizar” ainda em situações mais solenes, como um discurso ou uma aula e também na redação do Enem. OK?



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here